A VERDADE NÃO SERIA BASTANTE PLAUSÍVEL SE FOSSE FICÇÃO - Richard Bach
Mostrando postagens com marcador Targa Florio. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Targa Florio. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

O GAROTO

O Mantuano na época da Auto Union.

Na Alfa Romeo P3 




A grandeza de um homem pode muitas vezes ser mensurada pela riqueza das histórias que ele deixa atrás de si. Na Targa Florio de 1932, TAZIO NUVOLARI, aquele que segundo um monumento em sua honra na cidade de Roma é o último dos grandes pilotos antigos e o primeiro dos grandes pilotos modernos, foi informado que deveria levar um mecânico como acompanhante durante o percurso da prova. Franzino e magro, Nuvolari foi falar com Enzo Ferrari, então seu chefe de equipe na Alfa-Romeo e pediu que lhe fosse designado um auxiliar que pesasse tanto ou menos do que ele. Enzo encontrou um jovem mecânico, tão magricela quanto o mantuano. Preocupado que sua condução pudesse assustar o garoto, Nivola combinou com o parceiro que o avisaria quando estivessem se aproximando de algum ponto de maior perigo durante a competição. Ele então deveria se abaixar atrás do painel e só sair de lá quando a dificuldade tivesse passado. No fim da prova, mais uma vitória de Tazio, Enzo foi perguntar ao mecânico como tinha sido a experiência. “Nuvolari começou a gritar na primeira curva e só parou na última. Estive deitado no fundo do carro o tempo todo”, contou o garoto.



Na Vanderbild Cup 1938.



CARANGUEJO


---------------------------------------------------------------------------------------------------------

NT: 35, 40, talvez mais, tantos são os posts que o Caranguejo e eu escrevemos sobre o Mantuano e certamente vamos continuar...abaixo um link que leva à vários posts escritos pelo meu parceiro ou por mim...Tazio vive!


Rui Amaral Jr

sexta-feira, 24 de julho de 2015

O Senhor Targa Florio...

Nino Vacarella



1965 vitória com Lorenzo Bandini. Ferrari 275P2
1967 Ferrari 330P4 em dupla com Ludovico Scarfiotti. Quebraram.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Porsche na Targa Florio

A lendária Targa Florio, idealizada por Vincenzo Florio, percorria as estradas da bela Sicília na região de Madonie a leste de Palermo desde 1906, muitos mitos foram construídos até 1973 na sua ultima edição. Eram três os circuitos projetados por seus idealizadores,  Grande, Médio e Piccolo Madonie. A partir de 1948 apenas o circuito Piccolo Madonie de 72km foi utilizado e a corrida era realizada em 10 voltas num total de 720km. 
Entre tantos mitos, a Porsche à partir de 1959 construiu uma boa parte de sua história nas pistas pelas estradas da Sicília. Nas fotos apenas os carros das vitorias na geral.

 1959, Edgar Bart/Wolfgang Seidel, Porsche 718 RSK Spyder
 1960, Jo Bonnier/Hans Hermann, Porsche 718 RS60 Spyder, piloto reserva Graham Hill 
 1963, Jo Bonnier/Carlo Maria Abate, Porsche 718 GTR coupé 
 1964, Antonio Pucci/Colin Davis, Porsche 904 GTS
 1966, Willy Mairesse/Herbert Muller, Porsche 906 Carrera6 
 1967, Paul Hawkins/Rolf Stommelen, Porsche 910/8
 1968, Vic Elford/Umberto Magioli, Porsche 908/2
 1970, Jo Sifert/Brian Redman, Porche 908/3

     1973, Herbert Muller/Gijs van Lennep, Porsche Carrera RSR

terça-feira, 29 de maio de 2012

ALFA ROMEO T33

 Nino Vacarella pilota, em sua vitória em dupla com Toine Hezemans na Targa Florio 1971

A bela tomada de ar para os carburadores rendeu o apelido de "IL PERISCOPIO"

A Alfa Romeo 33 foi produzida por mais de dez anos a partir de 1967, eram carros feitos para principalmente as corridas de longa duração. Sua fabricação e desenvolvimento foi entregue à Autodelta de Carlo Chitti e Ludovico Chizzola que era o departamento de competições semi oficial da Alfa, a idéia inicial era colocar no carro o motor quatro cilindros em linha das Alfas GT/GTA que eram preparados pela Autodelta. Carlo Chitti tinha outros planos, um motor V8 com quatro comandos de válvulas, e a partir do final de 67 esse motor foi construído, tinha 1.995cc 78mm x 50,4mm, quatro válvulas por cilindro, e já desenvolvia 200 HP à 6.500 rpm.
O chassi tubular como era a tradição da Alfa foi projetado por Orazio  Satta Puliga engenheiro chefe de projetos da Alfa e de grande prestigio na marca, já que fora responsável por grandes carros desde as Alfettas 158 até as Alfa Romeo GTV.
O chassi era de tubos de magnésio fundidos e a carroceria de fibra de vidro e o peso do protótipo era de apenas 580 kg. Era apelidada na Italia de IL PERISCOPIO por conta da tomada de ar para os carburadores sobre o motor, bem antes de qualquer carro de Formula Um.
A T33/2  correu em 1967/68 e venceu muitas corridas, mas já corria contra os Porsches de 3 litros e vencer apenas na categoria não era a idéia da Alfa.
Ainda em 1968 começaram os testes do motor V8 de 3 litros e a aparência da T33/3 já mudara muito.


Rolf Stommelen em Brands Hacth 1971



O motor V8 de 3 litros

Em 1971 seu motor já bem desenvolvido tinha a potencia de 450 HP,  seu peso total com o novo motor era de 650 kg. Esse carro venceu algumas corridas importantes como a Targa Florio, 6 Horas de Watikins Glen e as 6  Horas de Brands Hatch.
Na Targa Florio 1971 uma vitória empolgante do ídolo italiano Nino Vacarella em dupla com Toine Hezemans. 
Em 1972 foi desenvolvido o motor 12 cilindros flat, estreando em 73 na Targa Florio, tinha 2.995cc com curso de 77mm x diâmetro de 53,6mm. Esse motor equipou alguns Formula Um como a Lola de Grahan Hill em 74 , a  March 721X de 72 e a MacLaren  em 1970, era beberão para F I e produzia 530hp à 12.000 rpm.


Andrea de Adamich em Brands Hatch 1971
 Arturo Merzario na TT33/3 12 cilindros
 Rolf Stommelen nos 1.000 KM de Nurburgring 1973
Andrea de Adamich TT33 nos 1.000 KM de Brands Hacth 1972.

A Alfa Romeo, já com problemas financeiros, entregou a equipe ao alemão Willy Kausen, e no ano de 1975 foi campeã do Campeonato Mundial de Marcas. Nesse ano já corria com o motor flat 12 com a cilindrada reduzida para 2.134cc e com a ajuda de um turbo a 1.4 atmosferas de pressão. Esse motor tinha 640 HP de potencia a 11.000 rpm e a denominação do carro era 33TT12, pesava 770 kg. TT significava Telaio Tubulare - chassi tubular.
Uma grande geração de carros que ficou na lembrança de que acompanhou o automobilismo de competição da época. 

Targa Florio 1971








Post de 13 de Novembro de 2010



terça-feira, 20 de setembro de 2011

Nino Vacarella o senhor Targa Florio

Nino
Este post vai para meu amigo HiperFernando, que como eu esperava a Autosprint para saber das novidades da Targa Florio. 
Desde moleque maluco por automobilismo, aguardava com ansiedade a chegada da Targa Florio, certamente a mais charmosa das competições automobilisticas de todos os tempos, para mim mais até que as 24 Horas de Le Mans. E um nome logo me vinha à lembrança todo ano que esperava o resultado dela, Nino Vacarella, já escrevi aqui sobre ele mas acho que nunca é demais mostrar as sua três vitórias na corrida, então vamos lá.... 

1965
Nino e Lorenzo Bandini venceram com essa Ferrari 275P.


1971

Nino e Toine Hezemans na Alfa Romeo T33/3




Conta Nino!



1975

Com Arturo Merzario e a Alfa Romeo 33T12



A paixão dos torcedores por Nino era tanta que até os muros eram pintados com seu nome, e no asfalto eram escritas frases exaltando o grande herói.



Targa Florio

A Targa Florio sempre foi uma paixão, aqui apenas algumas fotos.
 Nada melhor para ilustrar uma Targa Florio que uma Ferrari 250 GTO.
1964 - Ulf Norinder/Per-Olof 'Picko'. 9º lugar
1962 outra...de Giorgio Scarlatti/Ferraro, um belo 4º lugar.
1973-Martini Racing Porsche Carrera RSR Günther Steckkönig/Giulio Pucci. 6º lugar
1973 SpA Ferrari SEFAC Ferrari 312 PB Jacky Ickx/Brian Redman. Acidente na 2ª volta.
1973 -  Porsche 908/3 Claude Haldi/Bernard Cheveviére. Quebra de motor.
 1966 o vencedor Porsche 906 - Carrera 6 - Scuderia Filipinetti - Willy Mairesse/Herbert Müller.

sábado, 13 de novembro de 2010

ALFA ROMEO T33

Nino Vacarella pilota na sua vitória em dupla com Toine Hezemans na Targa Florio 1971.
A bela tomada de ar para os carburadores rendeu o apelido de "IL PERISCOPIO".


A Alfa Romeo 33 foi produzida por mais de dez anos a partir de 1967, eram carros feitos para principalmente as corridas de longa duração. Sua fabricação e desenvolvimento foi entregue à Autodelta de Carlo Chitti e Ludovico Chizzola que era o departamento de competições semi oficial da Alfa, a idéia inicial era colocar no carro o motor quatro cilindros em linha das Alfas GT/GTA que eram preparados pela Autodelta. Carlo Chitti tinha outros planos, um motor V8 com quatro comandos de válvulas e a partir do final de 67 esse motor foi construído, tinha 1.995cc 78mm x 50,4mm, quatro válvulas por cilindro, e já desenvolvia 200 HP à 6.500 rpm.
O chassi tubular como era a tradição da Alfa foi projetado por Orazio  Satta Puliga engenheiro chefe de projetos da Alfa e de grande prestigio na marca já que fora responsável por grandes carros desde as Alfettas 158 até as Alfa Romeo GTV.
O chassi era de tubos de magnésio fundidos e a carroceria de fibra de vidro e o peso do protótipo era de apenas 580 kg. Era apelidada na Italia de IL PERISCOPIO por conta da tomada de ar para os carburadores sobre o motor, bem antes de qualquer carro de Formula Um.
A T33/2  correu em 1967/68 e venceu muitas corridas, mas já corria contra os Porsches de 3 litros e vencer apenas na categoria não era a idéia da Alfa.
Ainda em 1968 começaram os testes do motor V8 de 3 litros e a aparência da T33/3 já mudara muito.




Rolf Stommelen em Brands Hacth 1971.
O motor V8 de 3 L.


Em 1971 seu motor já bem desenvolvido tinha a potencia de 450 HP  seu peso total com o novo motor era de  650 kg. Esse carro venceu algumas corridas importantes como a Targa Florio, 6 Horas de Watikins Glen e as 6  Horas de Brands Hatch.
Na Targa Florio 1971 uma vitória empolgante do ídolo italiano Nino Vacarella em dupla com Toine Hezemans. 
Em 1972 foi desenvolvido o motor 12 cilindros flat estreando em 73 na Targa Florio, tinha 2.995cc com curso de 77mm x diâmetro de 53,6mm. Esse motor equipou alguns Formula Um como a Lola de Grahan Hill em 74 , a  March 721X de 72 e a MacLaren  em 1970, era beberão para F I e produzia 530hp à 12.000 rpm.

Andrea de Adamich TT33 nos 1.000 KM de Brands Hacth 1972.
Arturo Merzario na TT 33/3 12 cilindros.
Rolf Stommelen nos 1.000 KM de Nurburgring 1973.

Andrea de Adamich em Brands Hatch 1971.


A Alfa Romeo já com problemas financeiros entregou a equipe ao alemão Willy Kausen e no ano de 1975 foi campeã do Campeonato Mundial de Marcas. Nesse ano já corria com o motor flat 12 com a cilindrada reduzida para 2.134cc e com a ajuda de um turbo a 1.4 atmosferas de pressão . Esse motor tinha 640 HP de potencia a 11.000 rpm e a denominação do carro era 33TT12 e pesava 770 kg. TT significava Telaio Tubulare - chassi tubular.
Uma grande geração de carros que ficou na lembrança de que acompanhou o automobilismo de competição da época.  

Targa Florio 1971