A VERDADE NÃO SERIA BASTANTE PLAUSÍVEL SE FOSSE FICÇÃO - Richard Bach
Mostrando postagens com marcador Silverstone. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Silverstone. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

1978

Um Candango à caminho da Formula Um
Piquet
Serra e Stefan Johanson
Derek Warwick

Andrea di Cesaris 


SILVESTONE 9 de Julho de 1978

Pole Position: Nelson Piquet, 54.9"
Volta mais rápida: Nelson Piquet, 54.9"

1º  Nelson Piquet, Ralt RT1 - Toyota/Novamotor 27'44.6"  
2º  Chico Serra, BR Toyota/Novamotor 27'56.4"  
3º  Derek Warwick, Ralt RT1- Toyota/Novamotor 27'58.8"  
4º  Andrea De Cesaris, Ralt RT1- Toyota/Novamoto   27'58.8"  
5º  Geoff Brabham, Ralt RT1- Toyota/Novamotor 28'07.4"  
6º  Derek Lawrence, Chevron B38- Toyota/Novamotor 28'17.9"  
7º  Jorge Caton,  Ralt RT1- Toyota/Novamotor 28'17.9"  
8º  John Stokes, Chevron B38- Toyota/Novamotor 28'38.8"  
9º  Barry Green,  Chevron B38- Toyota/Novamotor 28'40.5"  
10ºFermin Velez, Ralt RT1- Toyota/Novamotor 28'40.8"

CAMPEONATO BP de F3

1º  
Nelson Piquet    91 PONTOS

2º  
Chico Serra E
  Derek Warwick   61
4º  Phillip Bullman  22


5º  Andrea di Cesaris  19
6º   Tiff Meedell  18


Testando a MacLaren em Silverstone
  

A MacLaren M23 da estréia em Zeltweg. 


Estreando na Brabham, com BT46, Montreal






terça-feira, 22 de março de 2011

SILVERSTONE 13 DE MAIO DE 1950



George VI rei da Inglaterra e os pilotos, na flecha Stirling Moss com 19 anos.


Domingo começa o mundial de Formula Um, ando um pouco desmotivado para escrever sobre o automobilismo atual, gostei da vitória do Thiago Camillo na Stck e pouco tenho acompanhado mais.

A atual Formula Um está meio esquisita com novidades que sinceramente não aprecio, acredito que se houvesse vontade a categoria voltaria a ser competitiva como antes com ultrapassagens e vários carros vencendo corridas durante o campeonato. Então recebi umas fotos maravilhosas de meu amigo Edgar Rocha e juntando com algumas minhas vou mostra a primeira corrida do primeiro Campeonato do Mundo de Pilotos a Formula Um. O Campeonato de Construtores foi instituído apenas no ano de 1958 e nos dois primeiros campeonatos o regulamento permitia motores de 1,5 litro com compressores - BLOWN - ou atmosféricos de 4,5 litros. 




Primeira fila do grid da Alfa Romeo.
Talbot Lago T26C.
Na largada Fagioli e Fangio na briga pela ponta, ambos de Alfa Romeo.

#6 
David Hampshire  Maserati, #19 Luis Chiron Maserati, 

Yves Giraud-Cabantous (14) Talbot-Lago




A 11ª fila.


Giusepe "Nino" Farina, Alfa Romeo 158.
Luigi Fagioli, Alfa Romeo 158.
Juan Manuel Fangio, Alfa Romeo 158.

 Príncipe Bira -Birabongse Bhanuban- Maserati.
Philippe Etancelin Talbot-Lago T26C.

Acima e abaixo o #15 
Louis Rosier Talbot-Lago T26C.





Cuth Harrison, ERA.
Jonny Claes Talbot Lago T26.
Brian Shawe-Tailor, Maserati 4CL.
David Hampshire, Maserati.
G. Ansell, ERA.


Finda a 2ª Guerra voltaram as corridas de Grand Prix , para o ano de 1950 a CSI órgão responsável pelo esporte motor resolve estabelecer um novo campeonato , seria o 1º Campeonato do Mundo de Pilotos , e a categoria passaria a ser chamada de Formula Um . Pelo regulamento seriam usados os carros que corriam na categoria Gran Prix .
A 1ª corrida do novo Campeonato foi no aeródromo de Silverstone na Inglaterra , este mesmo Silverstone que agora desvirtuado por chicanes o Sr. Eclestone quer tirar do calendário da F.I .
No 1º ano as três principais concorrentes eram equipes que já venciam corridas Grand Prix , a Alfa Romeo , Maserati , e Ferrari . Auto Union já não existia e a Mercedes Bens não tinha condições de competir .


Giuseppe "Nino" Farina.

Em 1950 Nino já estava com 40 anos e iria competir pela Alfa Romeo , equipe que havia abandonado alguns anos antes e que tantas glórias juntos conquistaram . Tinha como companheiros de equipe Luigi Fagioli e a estrela ascendente o Argentino Juan Manuel Fangio . Farina Doutor em Direito e pilotagem tinha como seu grande incentivador e mentor Tázio Nuvolari , que viveu para ver seu pupilo ser Campeão do Mundo .
13 de Maio de 1950 Farina vence a 1ª corrida do novo campeonato em Silverstone com Luigi Fagioli em segundo e Juan Manuel Fangio em terceiro.  
Escrevendo fico imaginando a alegria dos "tifosi" numa época em que a Alfa Romeo era a alegria dos Italianos .




A Princesa Elisabeth deixa Silverstone.

Resultado


1° Giuseppe Farina (2) Alfa Romeo/Alfa Romeo 1:50.8
2° Luigi Fagioli (3) Alfa Romeo/Alfa Romeo 1:51.0
3° Juan-Manuel Fangio (1) Alfa Romeo/Alfa Romeo 1:51.0
4° Reg Parnell (4) Alfa Romeo/Alfa Romeo 1:52.2
5° Príncipe Birabongse Bhanuban (21) Maserati/ 1:52.6
6° Yves Giraud-Cabantous (14) Talbot-Lago/Talbot 1:53,4
7° Eugene Martin (17) Talbot-Lago/Talbot 1:55.4
8° Emanuel de Graffenried (20) Maserati/ 1:55.8
9° Louis Rosier (15) Talbot-Lago/Talbot 1:56.0
10° Peter Walker (9) ERA/ERA 1:56.6
11° Louis Chiron (19) Maserati/ 1:57.4
12° Leslie Johnson (8) ERA/ERA 1:57.4
13° Bob Gerard (12) ERA/ERA 1:57.4
14° Philippe Etancelin (16) Talbot-Lago/Talbot 1:57.8
15° Cuth Harrison (11) ERA/ERA 1:58.4
16° David Hampshire (6) Maserati/Maserati 2:01.0
17° Geoff Crossley (24) Alta/ 2:02.6
18° David Murray (5) Maserati/ 2:05.6
19° Joe Kelly (23) Alta/ 2:06.2
20° Joe Fry (10) Maserati/ 2:07.0
21° Johnny Claes (18) Talbot-Lago/Talbot 2:08.8


quinta-feira, 8 de julho de 2010

Silverstone 1951 Froilan Gonzalez vence a primeira corrida da Ferrari na Formula Um

Escrevi e postei a história da primeira vitória da Ferrari na Formula Um com o grande Froilan Gonzalez em 19 de Maio de 2009 com a ajuda de meu amigo Carlos de Paula, hoje com a chegada da F I a Silverstone resolvi mostrar novamente o post. Hoje não acredito que a Ferrari tenha condições de repetir essa vitória, sendo que para mim os grandes favoritos são Vettel, Hamilton, Button e Webber. Vindo a seguir Force India, Renault - Kubica - e Ferrari.  


Froilan recebendo a bandeirada da vitória.

Froilan ultrapassando Farina- Alfa Romeo- campeão da F1 no ano anterior .


A "vontade" com que o Touro dos Pampas pilotava .

Conhecemos por suas inúmeras vitórias na F1 , mas a 1ª vitória na categoria veio só no segundo ano de participação. Enzo Ferrari foi um piloto de relativo sucesso chegando a vencer várias corridas inclusive dois GP de Módena em 1927 e 28 pilotando para Alfa Romeo. Logo depois montaria sua Scuderia Ferrari e com ela representar a marca Alfa Romeo nas pistas, e como representou !! Por sua equipe passaram os maiores nomes do automobilismo da época, Antonio Ascari, Gigi Villoresi, Achille Varzi, Rudolf Caraciola, Luigi Fagioli, Giuseppe Campari, Compagnoni, Pintacuda e o grande Tazio Nuvolari. Esta equipe ganhou de tudo representando a Alfa e mesmo depois da saída de Enzo continuou ganhando, sendo a Alfa Romeo talvez a maior vencedora de corridas de todos os tempos, superando inclusive a Porsche a conferir. No começo da década de 1940 Enzo se desliga da Alfa Romeo, existia entre ele e o engenheiro chefe Wifredo Ricart um antagonismo latente, dois temperamentos difíceis, dois gênios do automobilismo. Tendo Ricart anos depois ao fim da segunda guerra, feito na Espanha um dos mais espetaculares carros esportes da época o Pegaso , dá para ver que a richa continuou. Quando saiu da Alfa, por força de contrato Enzo não podia usar o nome Ferrari, então sua equipe chamava-se Auto Avia Construzione e apesar de competir com o antigo patrão e vencer às vezes, ainda não tinha todo esquema da antiga equipe. Ai veio o novo campeonato de viaturas GP, a F1, e a Alfa Romeo com seus carros já amplamente testados em corridas venceu os dois primeiros campeonatos, em 1950 com o grande piloto de outrora Giuseppe Farina e em 1951 com aquele que por anos viria ser o ícone da categoria, o nome a seguir Juan Manuel Fangio. No dia 14 de Julho de 1951 no GP da Inglaterra viria acontecer a vitória que mudaria o rumo da F1, na pista de Silverstone, pista de altíssima velocidade, onde os grandes pilotos se destacam, tanto que esta pista até hoje é conhecida como Dasilvastone, por conta de um certo brasileiro chamado Ayrton que por lá barbarizou na FF e F3. Neste 14 de Julho tinha um touro no caminho. A Alfa com "apenas" seu time completo, Giuseppe Farina, Juan Manuel Fangio - a caminho de seu primeiro título - Bonetto e Sanesi e a Ferrari "somente" com Alberto Ascari, Gigi Viloresi, e o " Touro dos Pampas " Froilan Gonzáles. A Alfa com seu motor beberrão de 8 cilindros 1.500cc comprimido e a Ferrari com seu V12 de 4.494cc aspirado, por esta época este motor tinha uns 375cv contra os mais de 420cv das Alfas, mais era bem menos beberrão, tinha sido projetado por Aurelio Lampredi que substituíra Gioachino Colombo como projetista da casa de Marannelo. O primeiro piloto da Ferrari era o grande Alberto Ascari, filho de Antonio, morto em um acidente quando liderava o GP da França em 1925. Mas quem fez a pole nesta corrida foi o Touro, a seguir a ordem de largada.
Pole F. Gonzales 1.43,4 - Ferrari
2º J. M. Fangio 1.44,4 - Alfa Romeo
3º G. Farina 1.45 - Alfa Romeo
4º A. Ascari 1.45,4 - Ferrari
5ºL. Villloresi 1.45,8 - Ferrari
6º C. Sanesi 1.50,2 - Alfa Romeo
7º F. Bonetto 1.52 - Alfa Romeo
Grid composto de 20 carros.
Como se vê era o dia dele, colocar 1s em cima de Fangio a caminho de seu primeiro titulo, e ainda por cima seu concorrente desde os tempos da Argentina, e 2s no rapidíssimo Alberto Ascari talvez o piloto mais rápido de sua época.
Na corrida Bonetto largando da segunda fila com Alfa tomou a liderança, para antes do fim da 1ª volta ser devorado por Froilan e Fangio que seguiram lutando pela ponta com o Touro em 1º, pela décima volta Fangio assume a ponta, mas a luta continua renhida, pela metade da prova, Froilan toma de novo a ponta, e quando Fangio entra nos boxes, volta 45, para reabastecer a gastona Alfa, seu adversário abre 1m30s de vantagem. Quase ao final a Ferrari do Touro tem que fazer uma rápida parada para reabastecer, mas nem com isto perde a ponta, e vence corrida batendo Fangio por 51s e os dois chegando a simplesmente duas voltas na frente de Gigi Villoresi o 3º e quatro à frente de Bonetto o 4º.
Nos relatos que leio desta corrida, desde minha adolescência, todos dizem que a luta entre os dois Argentinos foi espetacular, os dois andando no limite desde a 1ª volta até o final, dizem feroz. Froilan Gonzáles foi o nome do dia, ainda por cima deu à Ferrari sua primeira vitória na F1, só que ainda não era a vez da Ferrari ser campeã do mundo, depois de Silverstone Fangio partiu firme para conquistar seu 1º titulo. Froilan ganhou mais uma corrida do mundial de pilotos, também em Silverstone, em 1954, e competiu ainda algum tempo na F1 e depois voltou para Argentina. Em 1971 ou 72 eu estava nos boxes em Interlagos, e alguém me disse de um senhor sentado em outro box é o Froilan, eu com vergonha não lhe pedi um autógrafo, seria uma relíquia, do "Touro dos pampas" o homem que naquele 14 de Julho deu a 1ª vitória à Ferrari e bateu ferozmente os melhores pilotos da época.


NT. Ele preparou muitos Opalas para alguns pilotos no Brasil, inclusive do pernambucano Antonio da Fonte, e correu na Copa Sul-americana de 1960 em Interlagos e ganhou uma corrida em Interlagos em 1958. Curioso que participou do ultimo GP da Argentina da fase romântica, em 1960.


Agradeço meu amigo Carlos de Paula .

Leia mais:                   
 

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Giuseppe Farina - O PRIMEIRO CAMPEÃO DO MUNDO DE FORMULA UM

Nino Farina Campeão do Mundo 1950
Nino Farina com a Alfa Romeo rumo a vitória . 1ª corrida do novo campeonato Silverstone

Luigi Fagioli seu companheiro de equipe e 2º colocado em Silverstone 1950

Como seu mentor Tazio Nuvolari sua tocada era elegante


Finda a 2ª Guerra voltaram as corridas de Grand Prix , para o ano de 1950 a CSI órgão responsável pelo esporte motor resolve estabelecer um novo campeonato , seria o 1º Campeonato do Mundo de Pilotos , e a categoria passaria a ser chamada de Formula Um . Pelo regulamento seriam usados os carros que corriam na categoria Gran Prix .
A 1ª corrida do novo Campeonato foi no aeródromo de Silverstone na Inglaterra , este mesmo Silverstone que agora desvirtuado por chicanes o Sr Eclestone quer tirar do calendário da F.I .
No 1º ano as três principais concorrentes eram equipes que já venciam corridas Grand Prix , a Alfa Romeo , Maserati , e Ferrari . Auto Union já não existia e a Mercedes Bens não tinha condições de competir .
Giuseppe "Nino" Farina
Em 1950 Nino já estava com 40 anos e iria competir pela Alfa Romeo , equipe que havia abandonado alguns anos antes e que tantas glórias juntos conquistaram . Tinha como companheiros de equipe Luigi Fagioli e a estrela ascendente o Argentino Juan Manuel Fangio . Farina Doutor em Direito e pilotagem tinha como seu grande incentivador e mentor Tázio Nuvolare , que viveu para ver seu pupilo ser Campeão do Mundo .
Farina vence a 1ª corrida do novo campeonato tendo Fagioli em 2º , venceu novamente na Suíça , seu companheiro de equipe Fangio vence Mônaco , Bélgica e França voltando Farina a vencer em Monza no GP da Italia , tornando-se assim o 1º Campeão do Mundo de Formula Um .
Escrevendo fico imaginando a alegria dos "tifosi" numa época em que a Alfa Romeo era a alegria dos Italianos .

terça-feira, 19 de maio de 2009

Froilan González e a primeira vitória da Ferrari na Formula Um




Froilan ultrapassando Farina campeão da F1 no ano anterior .

A "vontade" com que ele pilotava .

Conhecemos por suas inúmeras vitórias na F1 , mas a 1ª vitória na categoria veio só no segundo ano de participação. Enzo Ferrari foi um piloto de relativo sucesso chegando a vencer várias corridas inclusive dois GP de Módena em 1927 e 28 pilotando para Alfa Romeo. Logo depois montaria sua Scuderia Ferrari e com ela representar a marca Alfa Romeo nas pistas, e como representou !! Por sua equipe passaram os maiores nomes do automobilismo da época, Antonio Ascari, Gigi Villoresi, Achille Varzi, Rudolf Caraciola, Luigi Fagioli, Giuseppe Campari, Compagnoni, Pintacuda e o grande Tazio Nuvolari. Esta equipe ganhou de tudo representando a Alfa e mesmo depois da saída de Enzo continuou ganhando, sendo a Alfa Romeo talvez a maior vencedora de corridas de todos os tempos, superando inclusive a Porsche a conferir. No começo da década de 1940 Enzo se desliga da Alfa Romeo, existia entre ele e o engenheiro chefe Wifredo Ricart um antagonismo latente, dois temperamentos difíceis, dois gênios do automobilismo. Tendo Ricart anos depois ao fim da segunda guerra, feito na Espanha um dos mais espetaculares carros esportes da época o Pegaso , dá para ver que a richa continuou. Quando saiu da Alfa, por força de contrato Enzo não podia usar o nome Ferrari, então sua equipe chamava-se Auto Avia Construzione e apesar de competir com o antigo patrão e vencer às vezes, ainda não tinha todo esquema da antiga equipe. Ai veio o novo campeonato de viaturas GP, a F1, e a Alfa Romeo com seus carros já amplamente testados em corridas venceu os dois primeiros campeonatos, em 1950 com o grande piloto de outrora Giuseppe Farina e em 1951 com aquele que por anos viria ser o ícone da categoria, o nome a seguir Juan Manuel Fangio. No dia 14 de julho de 1951 no GP da Inglaterra viria acontecer a vitória que mudaria o rumo da F1, na pista de Silverstone, pista de altíssima velocidade, onde os grandes pilotos se destacam, tanto que esta pista até hoje é conhecida como Dasilvastone, por conta de um certo brasileiro chamado Ayrton que por lá barbarizou na FF e F3. Neste 14 de julho tinha um touro no caminho. A Alfa com "apenas" seu time completo, Giuseppe Farina, Juan Manuel Fangio - a caminho de seu primeiro título - Bonetto e Sanesi e a Ferrari "somente" com Alberto Ascari, Gigi Viloresi, e o " Touro dos pampas " Froilan Gonzáles. A Alfa com seu motor beberrão de 8 cilindros 1.500cc comprimido e a Ferrari com seu V12 de 4.494cc aspirado, por esta época este motor tinha uns 375cv contra os mais de 420cv das Alfas, mais era bem menos beberrão, tinha sido projetado por Aurelio Lampredi que substituira Gioachino Colombo como projetista da casa de Marannelo. O primeiro piloto da Ferrari era o grande Alberto Ascari, filho de Antonio, morto em um acidente quando liderava o GP da França em 1925. Mas quem fez a pole nesta corrida foi o Touro, a seguir a ordem de largada.
Pole F. Gonzales 1.43,4 - Ferrari
2º J. M. Fangio 1.44,4 - Alfa Romeo
3º G. Farina 1.45 - Alfa Romeo
4º A. Ascari 1.45,4 - Ferrari
5ºL. Villloresi 1.45,8 - Ferrari
6º C. Sanesi 1.50,2 - Alfa Romeo
7º F. Bonetto 1.52 - Alfa Romeo
Grid composto de 20 carros.
Como se vê era o dia dele, colocar 1s em cima de Fangio a caminho de seu primeiro titulo, e ainda por cima seu concorrente desde os tempos da Argentina, e 2s no rapidíssimo Alberto Ascari talvez o piloto mais rápido de sua época.
Na corrida Bonetto largando da segunda fila com Alfa tomou a liderança, para antes do fim da 1ª volta ser devorado por Froilan e Fangio que seguiram lutando pela ponta com o Touro em 1º, pela décima volta Fangio assume a ponta, mas a luta continua renhida, pela metade da prova, Froilan toma de novo a ponta, e quando Fangio entra nos boxes, volta 45, para reabastecer a gastona Alfa, seu adversário abre 1m30s de vantagem. Quase ao final a Ferrari do Touro tem que fazer uma rápida parada para reabastecer, mas nem com isto perde a ponta, e vence corrida batendo Fangio por 51s e os dois chegando a simplesmente duas voltas na frente de Gigi Villoresi o 3º e quatro à frente de Bonetto o 4º.
Nos relatos que leio desta corrida, desde minha adolescência, todos dizem que a luta entre os dois Argentinos foi espetacular, os dois andando no limite desde a 1ª volta até o final, dizem feroz. Froilan Gonzáles foi o nome do dia, ainda por cima deu à Ferrari sua primeira vitória na F1, só que ainda não era a vez da Ferrari ser campeã do mundo, depois de Silverstone Fangio partiu firme para conquistar seu 1º titulo. Froilan ganhou mais uma corrida do mundial de pilotos, também em Silverstone, em 1954, e competiu ainda algum tempo na F1 e depois voltou para Argentina. Em 1971 ou 72 eu estava nos boxes em Interlagos, e alguém me disse de um senhor sentado em outro box é o Froilan, eu com vergonha não lhe pedi um autógrafo, seria uma relíquia, do "Touro dos pampas" o homem que naquele 14 de julho deu a 1ª vitória à Ferrari e bateu ferozmente os melhores pilotos da época.

NT. Ele preparou muitos Opalas para alguns pilotos no Brasil, inclusive do pernambucano Antonio da Fonte, e correu na Copa Sul-americana de 1960 em Interlagos e ganhou uma corrida em Interlagos em 1958. Curioso que participou do ultimo GP da Argentina da fase romantica, em 1960.

Agradeço meu amigo Carlos de Paula .