A VERDADE NÃO SERIA BASTANTE PLAUSÍVEL SE FOSSE FICÇÃO - Richard Bach
Mostrando postagens com marcador Sargento. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Sargento. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 12 de março de 2009

Antônio Carlos Avallone

Acima Avallone e seu F 5000 transformado em D4 , abaixo em seu D4 na saída do "SARGENTO" ,fotos Saloma do blog .
Conheci o Avallone no inicio da década de 70 , penso que foi no Torneio Sulamericano , lembro que fui falar com ele para liberar a gasolina especial para nós , os novatos , " o baixinho e o nosso combustível ?" ele me olhou e disse apenas , "você é filho do Rui Amaral " , ficamos amigos logo e o combustível liberado . Eu não sabia , mais ele vendia alguns Gordinis e Dauphines que meu pai sorteava nas Cestas de Natal Amaral e alem disso eram em Jundiaí companheiros de partido , cidade pela qual meu pai se elegera deputado federal no ano de 1961 .
Dele ouvi miriades de suas histórias em papos que duravam horas , certa vez me convidou a correr uma Mil Milhas em dupla , num de seus protótipos , só que quando fui experimentar o carro fiquei entalado , não daria certo nunca , eu com meus 1.90m não cabia no carro dele , já que ele devia ter no máximo 1.65m . Assisti naquela década o filme "O pequeno grande homem " com Dustin Hoffman , baita ator grande filme , este era o Avallone , corajoso , empreendedor acreditava nas coisas que fazia e nela se empenhava , lutava com ministros e dirigerentes do automobilismo , sempre que queria colocar em pratica algumas de suas ideias , desde a replica da moto BMW 1.000 RS que queria fabricar em Manaus , até aquela réplica perfeita do MG TF que aqui construiu , com motor GM . Lembro dele me contando da trabalheira que teve para coloca-lo no Salão do Automóvel . Ou quando me contou a confusão que armou numa corrida de Stock Cars , largando dos boxes após uma brava discussão com a direção da prova , lançado foi ultapassando todo mundo até bater em alguns outros carros na freada da curva " TRÊS " . Outro dia conversando com um amigo meu a respeito de alguns grandes homens , que este pais já teve , lembramos do Engº Gurgel , do Monteiro Lobato e do Avallone , homens que se nascidos em algum pais que oferecesse mais incentivos aos empreendedores teriam feito maravilhas , como eles tentaram e conseguiram , só que na continuidade lhes faltou apoio .
Muito do que o Avallone me contou não vou poder dividir com vocês , mais sempre que puder comprovar uma de suas histórias , podem ter certeza que aqui vou escrever .