A VERDADE NÃO SERIA BASTANTE PLAUSÍVEL SE FOSSE FICÇÃO - Richard Bach
Mostrando postagens com marcador Porsche 908/2. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Porsche 908/2. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 4 de outubro de 2016

Porsche 908 1.000 KM de Nurburgring 1968 Jo Siffert e Vic Elford

O 908 de Seppy Siffert e Vic Elford voa para vitória!

1968 a Porsche lança o fabuloso 908, apesar do começo dificil neste mesmo ano vence os 1.000 KM de Nurburgring com a dupla Jo Siffert/Vic Elford, na foto voando para vitória.
Em 68 a FIA anuncia o novo regulamento para carros do grupo 6 Protótipos que usaria motores de no máximo 3.000cc.
Assim nascia o 908 com chassi tubular motor de 3 litros boxer com duas válvulas por cilindro que apesar da concepção conservadora garantia 350hp para um peso liquido de 650 kg.A versão de 68 era fechada o 908 LH ou como prefiro chamar "coda lunga".
À partir de 1969 a Porsche lança o 908/2 conversivél e com cerca de 100 kg à menos, um carro colecionador de vitórias nas mãos de grandes pilotos pelo mundo afora. No Brasil Mestre Luiz Pereira Bueno tocou um com sua  maestria habitual primeiro pela Equipe Z depois transformada em Hoolywwod.
Lembro de Luiz me contando sobre o carro e como com todos Porsches de clientes a fábrica fazia uma revisão do motor à cada 50 horas de uso, ocasião em que Luiz e Tite Catapanni aproveitaram e correram na Austria uma corrida do mundial.

A maravilhosa "coda lunga"! Com este carro Hans Herrmann/Gérard Larrousse em 1969 quase venceram as 24 Horas de Le Mans chegando apenas 100 e poucos metros atrás do Ford GT40 de Jacky Ickx/Jackie Oliver.

Caro Walter, eis o 908/2 com que Jochen Rindt correu os 1.000 KM de Buenos Aires em 1970 com Alex Soler Roig.

Mestre Luiz
Tive a honra de assistir a primeira corrida de Luiz com o 908/2 da Equipe Z em Interlagos, quando largando da última fila chegou na curva "Um" na ponta, meu irmão Paulo me contava que seu amigo Walter sócio de Luiz e Anísio Campos na Equipe Z quase teve um ataque cardíaco na ocasião! 

  500 KM de Interlagos 1972, Luiz com o 908/2 já da Equipe Hoolywood vem à frente de Reinold Joest com o 908/3 um carro bem mais avançado...essa também tive a honra de ver de perto! 

O parceiro de Luiz na corrida de Zeltweg Tite Catapani à frente de Ronnie Peterson na Ferrari 312P, quando o Porsche foi fazer a revisão na fábrica. Um dia ainda conto sobre esta corrida!

Rui Amaral Jr


quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Porsche 908/2

Capa de AutoEsporte, Luiz na Argentina

1968 a Porsche prepara um novo carro para brigar na nova categoria até 3 Litros, e lança o 908. Sua primeira grande atuação veio na Targa Florio de 1969, quando um 908/2 pilotado por Gerhard Mitter/Udo Schütz venceu, seguido de outros três pilotados por Vic Elford/Umberto Maglioli, Hans Herrmann/Rolf Stommelen, Freiherr Karl von Wendt/Willibert 'Willi' Kauhsen. Nas 24 Horas de Le Mans de 1969, pilotado por Hans Herrmann/Gérard Larrousse um 908 LH chegou em segundo lugar, e na mesma volta do GT40 de Jacky Ickx/Jackie Oliver, era o modelo fechado de cauda longa.

Targa Florio 1969, #266 Gerhard Mitter/Udo Schütz, os vencedores.

2º lugar Vic Elford/Umberto Maglioli

Com 3.000cc quase eles vencem em Le Mans 1969, contra o GT40 de 5.000cc.
GT40 #6 Jacky Ickx/Jackie Oliver, 908 LH #64 Hans Herrmann/Gérard Larrousse
 500 KM de Interlagos 1972, Luiz com o 908/2 à frente de Reinold Joest com o 908/3

1969 - 28 unidades construídas  

Vitórias importantes
1969 Targa Florio - Gerhard Mitter / Udo Schutz 
1969 Nurburgring 1000 km - Brian Redman / Jo Siffert 
1970 Can-Am Road Atlanta - Tony Dean 

Motor
Configuração flat 8
Localização traseira, montado longitudinalmente
Construção bloco e cabeçote em liga.
Cilindrada  2,996 litros 
Diâmetro x curso 85,0 milímetros x 66,0 milímetros 
Taxa de compressão 10.5:1
2 válvulas por cilindro, duplo comando
Alimentação de combustível Bosch Injeção
Potencia   350 CV a  8500 rpm
117 cv / litro

Drivetrain
Chassis em alumínio tubular spaceframe  
Suspensão dianteira triângulos duplos, molas helicoidais, amortecedores hidráulicos
Suspensão traseira braços superiores e inferiores, braço tensor, molas helicoidais, amortecedores hidráulicos
Direcção cremalheira e pinhão
Freios Dunlop-ATE, discos nas quatro rodas
Caixa de cambio Porsche 5 marchas
Tração traseira

Dimensões
Peso 600 kg / £ 1322,8
Comprimento 4.320 milímetros - Largura 1830 mm - Altura  1020 mm. (40,2 in)
Distância entre eixos 2300 milímetros , bitola dianteira  1.486 milímetros, bitola traseira  1453 mm 

Peso/potencia 0,58 cv / kg



Num belo dia em 1971

Obrigado Luiz...
O Porsche 908/2 com Luiz ao volante, lá atrás Jan Balder espia, no lado esquerdo da foto duas pessoas que conheço, apenas os nomes não lembro!

Lembro bem, muito bem, naquele dia de junho de 1971, ia fazer minha segunda corrida. Lembro do macacão feito pela mãe do Ítalo Adami - ainda outro dia falamos sobre - e do capacete aberto que usava, era verde e amarelo. Dias antes já havia treinado com o VW D3 azul #84 da equipe De Lamare, depois treinei nos dois dias de treinos oficiais, e naquele domingo ia enfrentar algumas feras da categoria Estreantes e Novatos, entre eles meu amigo José Martins Jr no imbatível Puma #48, o excelente Hiroshi Yoshimoto em outro VW D3 super bem preparado pela Kinko, José Maldonado e Paulo Condrackti ambos com VW D3 também muito bem preparados, e que já haviam disputado várias corridas antes. E também um piloto que havia estreado no mesmo dia que eu, Alfredo Guaraná.
Mas se para mim era um dia especial, para o nosso automobilismo era mais especial ainda, pois naquele dia estreava em nossas pistas a Equipe Z, fruto do esforço de Luiz Pereira Bueno, Anísio Campos e um outro sócio, amigo de minha família cujo nome agora me foge,  era a estréia do Porsche 908/2 e o embrião de uma equipe que marcaria para sempre a historia de nosso automobilismo; a Hollywood. 
Apesar de todos meus afazeres e preocupações com a minha corrida, já tinha ido ao Box da Z ver o 908/2 e cumprimentar o Luiz, e no momento da primeira largada da corrida dele, lá estava eu na mureta do Box assistindo. Foi impressionante, Luiz largou lá de trás, puxou o carro para direita, quase na grade das antigas arquibancadas, e acelerou, quando passou por mim, uns duzentos metros à frente, já vinha quase na cola dos ponteiros. Soube tempos depois que o outro sócio do Luiz e Anísio quase teve um ataque cardíaco naquela hora!
Minha corrida, oras, foi boa, nas duas baterias em uma fiquei em 5º, e outra em sexto, na soma dos tempos em sexto atrás do Guaraná. Notem que a Quatro Rodas não cita nossos nomes, mas no Ranking Auto Esporte estamos lá!
A você Luiz, onde estiver, muito obrigado!        







Infelizmente não tenho nenhuma foto com este carro, apenas o desenho feito com carinho por meu amigo Tito.

Arquivo digitalizado

Do amigo Luiz Salomão