A VERDADE NÃO SERIA BASTANTE PLAUSÍVEL SE FOSSE FICÇÃO - Richard Bach
Mostrando postagens com marcador Jean Pierre Beltoise. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Jean Pierre Beltoise. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

MEA CULPA...

Piero Gancia empurra sua Alfa Zagato no GP IV Centenário na Barra da Tijuca.


É fácil demais de uma poltrona confortável escrever sobre o que acontece numa pista de corridas afinal culpar alguém sem conhecimento é um "dom" natural de certas pessoas. Tenho saudades dos textos precisos e concisos de Paul Frère e meu amigo Expedito Marazzi dois grandes jornalistas e pilotos, que como quase todos nós já sentiram suas bundas ardendo num carro de corridas e escreviam sobre o que sabiam, fora eles alguns outros, diria que alguns poucos outros tinham ou têm a consciência exata do que é competir.
Jean Pierre foi crucificado pelo acidente na Argentina, quando a única culpa dele foi o excesso de competitividade a vontade de levar um carro sem combustível até o box. Lembro muito bem quando ao meu lado Jean Pierre foi colocar o capacete com aquele braço torto e duro pelos acidentes de motocicleta e com o René Bonnet-Renault, sentava no carro meio de lado para poder trocar as marchas com já que o braço que descrevo acima era o direito, e mandar a bota naquele Formula Um.
Jean Pierre não foi o culpado e hoje acredito que ninguém foi, sua culpa sim foi o excesso de competitividade como todos outros que mostro acima, sem dúvida alguma um grande piloto, que apesar do acidente e da culpa de uma imprensa inconsequente deixou sua marca no automobilismo.

Rui Amaral Jr      



Black Jack empurra sua Cooper T45 no GP dos EUA em Sebring para chegar no quarto lugar.
Thierry Butsen empurra sua Arrows-BMW no GP de Imola para chegar no segundo lugar.
O Leão desmaia em Dalas ao empurrar sua Lotus.
Walter "Tucano" Barchi empurra seu Escort na chegada das Mil Milhas.
O Urso dá uma carona à Black Jack em Nurburgring.

Jean Pierre Beltoise-Argentina 1971







 Arturo Merzario companheiro de Ignazio Giunti na Ferrari 312P de 3 litros vem embutido num Porsche 971K de 5 litros...era o espirito de tudo!
 Giunti em Buenos Aires
Ignazio Giunti
XIUHTECUHTLI, O DEUS DO FOGO ASTECA
Excelente texto do Caranguejo.





segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

VALEU CAMPEÃO!

Jean Pierre Beltoise
26 de Abril de 1937 - 5 Janeiro 2015






quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

GP da Espanha 1968 - Jarama

Amon sem combustível!

Pedro toma a ponta seguido por Beltoise.
Amon já à frente de Pedro

Ontem meu amigo Charger Le Mans me enviou no Face a bela foto de Chris Amon, logo notei que era de 1968 e procurando encontrei a corrida!
Jarama 1968 GP da Espanha a segunda prova do campeonato, Jim Clark após a vitória na primeira etapa havia na Africa do Sul havia perecido em uma corrida de F2, quem seria o novo Rei?
Na minha imaginação de 15 anos apenas Amon poderia substituir meu ídolo à altura na Lotus, com todo respeito e admiração que nutria por Hill, Rodriguez, Bruce, Courage, Rindt... 
Apenas treze carros largaram em Jarama, Amon na pole com a Ferrari 312, a seguir Pedro Rodriguez - BRM
Denny Hulme - McLaren M8/Ford
Ludovico Scarfiotti - Cooper/BRM
Jean-Pierre Belboise - Matra/Ford
Graham Hill - Lotus/Ford 

 Hill estreando o patrocínio da Gold Leaf seguido por Hulme.

Na corrida Rodriguez toma a ponta seguido Beltoise estreando um carro de Formula Um já que Kyalami havia pilotado um Formula Dois, tendo logo à seguir Amon. Logo a seguir é a vez do novato Beltoise liderar a corrida, logo em sua segunda participação na categoria. Problemas o levam ao Box quando o pole Amon toma a liderança para  faltando poucas voltas para o final parar por falta de combustível entregando a liderança à Grahan Hill que corre pela primeira vez com a Lotus vermelha e dourada  patrocinada pela Gold Leaf.

RESULTADO 

1º  #10  Graham Hill - Lotus-Ford  90 voltas
2º  #1    Denny Hulme - McLaren-Ford
3º  #14  Brian Redman - Cooper-BRM
4º  #15  Ludovico Scarfiotti - Cooper-BRM
5º  #6    Jean Pierre Beltoise - Matra/Ford

Melhor volta: Jean Pierre  Beltoise 1'28.300


Alguns amigos meus acertaram, o Hélio, Paulo, os irmãos Heitor Luciano Nogueira Filho e Clovis Nogueira que enviou o vídeo. Barba, Tony Marx, Cuca até que tentaram!
Tohmézinho pensou ser um alicatão e passou longe!

À todos meu forte abraço!



segunda-feira, 23 de março de 2009

CAMPEÕES SEM TITULO II - A VOLTA DA RAZÃO

Beltoise e a BRM a caminho da vitoria , Monaco 1973
Ayrton e a Tolemman , a 1ª vitória lhe foi tirada .

Ayrton e a Lotus em Portugal , a vitória .


Dirigente tem cada ideia !!!!! Às vezes eles não tem nenhuma , outras como esta de dar ao piloto com maior numero de vitorias o titulo da F 1 . Eles não pilotam , não tem que frear no limite com outro "maluco " atraz ou ao lado ,não fazem a Eau Rouge cravado com um "bando" atraz ou tentando chegar em um carro mais rápido à frente . Não rodam a 250 km/h numa bela curva de alta tentando ganhar 0,10 de segundo , não largam com todos aqueles "malucos" tentando ganhar posições , ou ameaçar a sua conseguida a duras penas , e principalmente , não morrem em uma pista de corridas .
Conheci alguns bons dirigentes , deles ainda vou escrever . Me parece que o mentor da F Truck aqui no Brasil foi um grande dirigente , o pessoal que dirige a Stock e a Porsche Cup .
Acontece que apesar de falarem de profissionalismo , macacões anti chamas , capacetes etc , a maioria dos pilotos são "malucos" , a grande maioria ama o que faz , cheiro de combustível , borracha , aquele frenezi , um barulho ensurdecedor , sempre acha que vai ultrapassar quem está à frente ou segurar quem vem atrás , sempre tentando ganhar aquele décimo de segundo que às vezes faz a diferença .
Imaginem no sistema de vitorias , ao chegar a ultima prova do campeonato , Hamilton , Kubica , Buton , Vettel e Massa com três vitórias cada , seria uma corrida espetacular , só que ia terminar em pancada , e se tudo desse certo ninguém se machucaria , e se desse mal ?
Talvez a F.I.S.A tenha voltado ao bom senso , bom senso que não teve ao dar o titulo de 1989 ao francês , quando ele jogou seu carro contra o do Ayrton naquela chicane , provocando ela aquele terrível acidente do ano seguinte . Ou não punindo exemplarmente o Schummi , que ao jogar propositalmente seu carro contra o de Damon Hill tirou-lhe o titulo mundial .
Já escrevi muito , e talvez muita bobagem , mais é o que penso , é a visão que tenho do esporte .
Por que "CAMPEÕES SEM TITULO II ", queria comentar a batida do Alemão contra o Hill e escrever de novo sobre o Ayrton , e ainda lembrar de um baita piloto francês , que conheci aqui no Brasil , Jean Pierre Beltoise , fui e ainda sou seu admirador , motociclista desde a juventude ,começou sua carreira em motos depois nos carros foi a esperança da França ter um campeão , só que nas 12 Horas de Rheins sofreu um terrível acidente quando pilotava um Rene Bonnet , vendo-o colocar seu capacete com aquele braço que não esticava me perguntava como ele conseguia dirigir um F 1 . Mais naquele G.P de Monaco em 1972 veio a chuva , a chuva que nivela os carros e destaca os pilotos excepcionais Ayrton , Vettel , Peterson etc etc , Boltoise tomou a ponta na largada de um Ickx sem ter o que fazer com sua Ferrari e dominou as 80 voltas da corrida com sua BRM que não era favorita . Debaixo de chuva deu um show , lembro que assistindo a corrida pela T.V. as vezes fechava um olho como se assim pudesse conter minha ânsia , quando ele vinha de lado ou dava alguma escapada . Quando veio a quadriculada acho que eu estava mais cansado do que ele . O interessante é que 12 anos depois o mesmo Ickx , que não havia segurado o Beltoise naquela largada , tenha antecipado a bandeirada final , negando a Ayrton o que seria sua primeira vitória na F 1 , ainda bem que era o Ayrton , Portugal no ano seguinte viu uma de suas mais belas vitórias , quando sob a mesma chuva que nivela os equipamentos proporcionou a ele a primeira vitória de sua carreira , abrindo "apenas" 62 segundos do segundo colocado .