A VERDADE NÃO SERIA BASTANTE PLAUSÍVEL SE FOSSE FICÇÃO - Richard Bach
Mostrando postagens com marcador Escapamentos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Escapamentos. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Escapamentos II...

Matra MS11- Foto enviada por meu amigo Helio Canini.

Continuando o tema os depoimentos de meus amigos Jr Lara, Ricardo Mansur e Carlos Manzetti no Face da D3 onde mostrei o post anterior. Três grandes pilotos e que em suas carreiras fizeram a maioria das corridas com os motores VW boxer na Divisão 3 e Formula Supe Vê.

Manzetti - Eu lembro que o Elcio Pellegrini colocava o motor no Polar (F-2 da epoca) 4x1 e quando tirava o motor pra encaixar no fusca ele colocava 4x2 e olha que andava bem no fusca de 4x2, ele fez isso numa prova F-2 sul americana em Interlagos, quando acabou a F-2 logo em seguida teve a hot cars e ele correu nas duas, ele andava muuito...., fica ai mais uma História da D-3.

Ricardo M. Mansur - O correto é 2+2 cruzado (direto) e o 4x1 (central). A escolha do escapamento tem muito a ver com a topografia da pista. Para Interlagos, que tem subidas, descidas, o ideal seria um volante ligeiramente mais pesado, um comando com uma faixa de torque maior e mais pronunciada e um escape 4x1. Esse escapamento proporciona mais torque, ideal para o circuito paulista! O 2+2 cruzado faz o motor virar mais alto, quando não é tão essencial o torque, próprio para pistas planas como Goiânia! Aí sim é possível se utilizar um comando bem mais forte e um volante levíssimo! Nesse caso, uma relação de marchas com escalonamento bem próximo, é essencial! Quanto ao som dos motores boxer de cilindros contrapostos, é possível se identificar qual escape utilizado sem olhar! O 4x1 tem o som mais grave, mais definido! O 2+2 é um som bem mais agudo, metálico, parece dissonar! Pra mim, os dois são música... Da melhor qualidade!

Jr Lara - O Ricardo Mallio Mansur já falou tudo, mas com relação ao 4x1 o regulamento não permitia que o escape ultrapasse mais de 20 cm do capo traseiro, fora os pentelhos que entortavam propositadamente a longa corneta...

Ricardo M. Mansur - Bem lembrado, Junior! No início eu reclamava do tamanho das "cornetaças" mas, nós do interior não tínhamos força para que fosse cumprido o regulamento! Meu carro sempre esteve nos "conformes", rsrsrs! Um erro no vácuo e você poderia tirar um "rabudo" da pista e ir junto caso danificasse seu radiador! Algumas cornetas chegavam a meio metro! Abs!



 Ricardo
Jr Lara
Manzetti





quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Escapamentos...

Jimmy na Lotus 25 Conventry Climax, de cada bancada de cilindros saía um coletor para uma saída de escape.  

Tá certo, prometi escrever sobre os escapamentos 4x1 e cruzados da D3 e até liguei para o Jr e Ricardo que me deram algumas boas dicas, mas depois o papo como sempre descambou para outros assuntos. Com o texto na cabeça abri até  o processador de texto para começar à escrever quando lembrei de outro amigão que conhece muito sobre o assunto e aguardo o telefonema dele para escrever! Enquanto isto, e esperando que os que cobraram entendam, vou mostrar uma série de coletores e escapamentos que procurei em meus arquivos, espero que gostem.

Rui Amaral Jr  

PS: No exato momento em que postei as fotos toca o telefone, do outro lado da linha meu amigo Clelio"Bé"Moacyr Souza, de quem aguardava o telefonema,  e depois de um papo gostoso peço à ele, que foi dono da fabrica de escapamentos Gran Prix, que me oriente sobre os 4x1 e cruzados...então aguardem!

Um abração Bé meu amigo!       




 A Maserati 250F que deu o 5º titulo à Fangio.
 Surtees e a Ferrari 312/66 em Mônaco.
 Ludovico Scarfiotti e a Ferrari 312/66 em Monza.
 Black Jack e a Brabham BT19 Repco-Brabham-Olds em Reims -1966
 Chris Amon e a McLaren-Sereníssima  
 Black Jack e a Brabham BT24  
  Clark olha desolado seu carro em Indianápolis, Chapman e Hill também! 
 Formula Super Ford, Chico Lameirão. 
 Lotus 25
 Chris Amon Ferrari 312/66
 Clark e a Lotus 49
 Big John e a Cooper Maserati
 Dan e o Eagle-Weslake 
Fitti-Vê 
 Ferrari 312 B3 
 Ferrari 500 o carro que deu os títulos mundias de 1952/53 à Alberto "Ciccio" Ascari.
 Costin e Chapman com a sua criação o  Ford Cosworth DFV, Jimmy e Hill observam. 
 Hill e a Lotus 49, notem o belo emaranhado do coletor de escape!
 Hill e a BRM P153 os escapes saem direto do cabeçote!
 O belíssimo motor Weslake V12
 O motor Maserati 3L
  
 O motor Repco-Brabham-Olds
 Richie Ginther na BRM P153
 Jochen Rindt na Brabham BT24