A VERDADE NÃO SERIA BASTANTE PLAUSÍVEL SE FOSSE FICÇÃO - Richard Bach

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

CANCHA RETA III - Formula Ford 1971.

TRÍPLICE COROA

Pedro Victor
Largada com Chico na pole ao seu lado Clovis e Pedro Victor.
Pedro Victor atrás o #45 de Marivaldo.
Clovis Moraes
A nova carenagem desenhada por Anísio Campos inspirada na Lotus 72 não deu certo!


A segunda prova do Brasileiro de Fórmula Ford de 1971, na pista de Interlagos e com o nome de Campeonato Brasileiro de Velocidade, contou com uma assistência ilustre. A corrida foi a preliminar do Torneio Internacional de F2, e deve ter atraído a atenção dos gringos para a Fórmula Ford “do lado de baixo do Equador”. Após um desempenho superior nas etapas iniciais, Chico Lameirão, desta vez correndo em casa, cravou a pole position com 3m25s6/10. Próximos, vinham Clovis de Moraes e Pedro Victor DeLamare. Tudo fazia crer num grande pega entre estes pilotos mais o gaúcho Claudio Muller, pela ponta. Mas Lameirão, envolvido em uma batida entre cinco carros no Retão, saiu da disputa logo na primeira volta. Pensando sempre no desenvolvimento de seu carro, o monoposto do Chico apresentava novidades: frente em forma de cunha e radiadores laterais. Enquanto o líder do campeonato buscava os boxes para reparos, DeLamare e Clovis disputavam entre si o primeiro lugar. Muller disputava a terceira posição com Marivaldo Fernandes. Quando conseguiu desvencilhar-se de Marivaldo, Claudio Muller se meteu na briga dos ponteiros e chegou até mesmo a liderar, mas Pedro Victor acabou levando vantagem e venceu a série, na frente da dupla gaúcha Muller-Clovis. Na segunda bateria, sem a presença de Chico Lameirão, que desistira depois de uma saída de pista no fim da bateria inicial, a briga iria ser entre DeLamare, Claudio Muller e Clovis de Moraes, que haviam feito mudanças na relação de marchas de seus monopostos. Disputa empolgante, o trio se revezou na ponta, com Marivaldo Fernandes acompanhando-os à distância. Nas voltas finais, Claudio Muller era o líder e PV queria surpreendê-lo na volta derradeira, mas quem tirou o coelho do capacete foi Clovis de Moraes, vencedor, seguido de Claudio Ricardo Muller e Pedro DeLamare, que assim assumiu a ponta do campeonato brasileiro e do certame paulista também. A etapa seguinte seria novamente em São Paulo e ofereceria a chance de DeLamare ampliar a liderança ou uma reação de Chico Lameirão ou ainda uma surpresa gaudéria. O que iria ser?


CARANGUEJO



Agradeço à Rogério Da Luz.
link

terça-feira, 25 de novembro de 2014

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Formula Um - Abu Dhabi 2014



Finalmente terminou o campeonato que tantas modificações trouxe e não poderia terminar de melhor forma, com o melhor piloto da temporada sendo campeão. Certo que Lewis tinha o melhor carro mas nunca se deixou abater por resultados adversos, muito menos por uma ou duas presepadas de Nico como aquela de Mônaco, foi tranquilo para a última etapa e largou para a vitória. Teve maturidade à certa altura da corrida para dizer ao seu box que Felipe Massa não era o adversário e  fez sua corrida que como sempre é no limite, um campeão de verdade.

Felipe Massa

Felipe Massa depois de longos anos fez sua melhor corrida, talvez a melhor de sua carreira, recebendo a bandeirada com um ótimo segundo lugar.
O resto é estória que talvez gente que saiba muito mais que eu conte por aí!

Salve Lewis...Salve o Campeão!

Rui Amaral Jr

 Melancólico final de temporada para Ferrari.


RESULTADO 

1 — Lewis Hamilton (Mercedes)
2 — Felipe Massa (Williams)
3 — Valtteri Bottas (Williams)
4 — Daniel Ricciardo (Red Bull)
5 — Jenson Button (McLaren)
6 — Nico Hulkenberg (Force India)
7 — Sergio Pérez (Force India)
8 — Sebastian Vettel (Red Bull)
9 — Fernando Alonso (Ferrari)
10 — Kimi Raikkonen (Ferrari)


MUNDIAL DE PILOTOS

  
1Lewis Hamilton (ING/Mercedes)      384
2Nico Rosberg (ALE/Mercedes)         317
3Daniel Ricciardo (AUS/RBR-Renault) 238
4Valtteri Bottas (FIN/Williams-Mercedes) 186
5Sebastian Vettel (ALE/RBR-Renault) 167
6Fernando Alonso (ESP/Ferrari) 161
7Felipe Massa (BRA/Williams-Mercedes) 134
9Nico Hulkenberg (ALE/Force India-Mercedes)



VÍDEO MELHORES MOMENTOS 


Fotos; Ferrari, Formula Um divulgação

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Conta Chico - Vila Real


 "...pois é RUI,  a foto 'e na segunda ponte do circuito , dentro da cidade de VILA REAL e após ela tem uma curva 'a direita de baixa velocidade feita em  segunda marcha e após esta começa uma grande reta ainda em nível """ O""" onde em seus ultimo1/4 começa a descer- se chegando ao final dela a mais ou menos uns  210///215 KLMs/ hora. Chama- se a reta da TIMPEIRA. Justamente n o começo desse 1/4 tem uma curva que 'e feita  p'e em baixo e foi aí que me quebrou o BOOL JOIN da roda T.D. dando eu com isso 4  //360  graus em que no meio do primeiro fiquei  com somente duas rodas apoiadas no asfalto......!!!!!! mas a bem da verdade o  """" BARBUDO LÁ  de CIMA"""" não quis que eu batesse em nada......!!!!!!!!
O carro No 18 é de meu amigo JORGE PINHOL , que algum tempo depois fez ótimas corridas com protótipos LOLA com ótimos tempos em SPA  na BÉLGICA cujo companheiro de corrida foi MARIO CABRAL, famoso piloto português , amigo também de FRITZ D'OREY , pois corria também na mesma época dele na FORMULA UM.......
O circuito de VILA REAL , foi sem duvida alguma , o mais destemido em que pilotei , pois era  de longos trechos de estrada (((( 80 %))) com o restante trechos de rua e realmente era perigoso como qualquer circuita deva ser.......!!!!!! não esses de hoje em dia feitos em COMPUTADOR , realmente RIDÍCULOS. -!!!!!!!!!  Digo de. """" de boca cheia"""" que tenho muito ORGULHO de la ter corrido , em VILA REAL.
Meu carro não estava devidamente acertado para lá, pois seu eixo dianteiro estava  muito """ grudado""" fazendo com isso que ficasse com a traseira bem """ arisca""", não adequada para esse  tipo de circuito, mas valeu a pena sem duvida alguma.....!!!!!!

Abraço amigo a você e a todos  os apaixonados  das corridas de VILA REAL........


Abraço Chico Lameirão"

Chico à frente de Jorge Pinhol.

Pois bem...fui convidado à participar no Face de um grupo, o Circuito Internacional de Vila Real, já havia feito um post sobre o que acredito ser a primeira vitória de um Jaguar em corrida internacional e fora isto lembrava de uma conversa com o Chico à mais de trinta anos atrás sobre a sua única corrida no circuito e de como ele o achava sensacional, suas retas, duas passagens sobre  trilhos...na corrida ele vinha em terceiro quando quebrou uma de suas suspensões traseiras e deu mais de três giros 360º à 200 km/h. 
Outro dia mostrei a foto que aqui se encontra no alto do post e de lá o amigo português José Motta Freitas mostrou as outras duas, a do Chico à frente do carro de Jorge Pinhol e a classificação final da prova.
Daí comentando com ele ao  telefone ele falava e eu ia digitando, acontece que digito apenas com dois dedos e olhando o teclado então vocês pode imaginar  como foi...foi sublime! 
Ontem ou anteontem ele me envia este e-mail e pede para que eu coloque no grupo, daí agora resolvi mostrar à vocês, não pedi permissão à ele, conversamos à tarde e não tinha sequer pensado em fazer este post, agora quase 23 horas é tarde para ligar, então taí, amanhã conto!   
Obrigado à todos amigos do grupo que comentaram e curtiram, especialmente à Francisco Vieira E. Brito e José Mota Freitas e à todos um forte abraço.

Rui Amaral Jr

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

CANCHA RETA II - Formula Ford 1971 .

TRÍPLICE COROA
Chico Lameirão
Claudio Muller


Já dizia o grande Marcus Zamponi, corrida sem bochicho é um lixo. Principalmente quando reúne tradicionais rivais como paulistas e gaúchos...Assim estavam as coisas para a disputa da primeira etapa do Campeonato Brasileiro de Fórmula Ford de 1971, duas semanas depois de um entrevero dos mais animados na pista de Tarumã, prova essa válida pelo certame gaúcho. Francisco Dias Lameirão havia levado a melhor e agora, iria encarar a brigada rio-grandense, compreensivelmente “mordida” depois da prova anterior. Com o formato de três baterias – as duas iniciais classificatórias e a terceira decisiva – Chico Lameirão, resolveu tirar proveito da excelente preparação de Crispim Ladeira e andou forte na primeira série, para garantir alguma vantagem. Venceu e convenceu e foi secundado por Pedro Victor DeLamare. Destaque-se o quinto lugar de Pedro Carneiro Pereira, mostrando sua versatilidade na condução de um carro diferente do tradicional Opala. Já a segunda bateria teve um panorama parecido, com o local Claudio Muller apossando-se da primeira posição, acompanhado pelo gaúcho João Palmeiro e o brasiliense Alex Dias Ribeiro. Na quinta posição aparecia um piloto que tempos depois seria um dos protagonistas da F/F, Francisco Antonio Feoli. Criava-se então, grande expectativa para a final. De cara, a gauderiada perdia dois bons nomes: Clovis de Moraes, com um motor fundido (viria a ser tricampeão brasileiro da categoria) e Leonel Friedrich, acidentado na segunda bateria (futuro campeão sulamericano de Fórmula 3) não participariam. Mas a sorte estava lançada. DeLamare largou melhor e ponteou até a segunda passagem, quando errou na Curva do Laço e perdeu três posições. A disputa então passou a ser entre Chico Lameirão e Claudio Muller. 

 Pedro Victor
Marivaldo Fernandes

Desse modo, enquanto na frente o grande conhecimento da pista por parte de Muller fazia com que Lameirão exigisse o máximo de seu equipamento, mais atrás, Pedro Victor recuperava posições. Francisco Lameirão foi outra vez o vencedor, com Claudio Muller em segundo e Pedro Victor DeLamare em terceiro. E quando a pendenga parecia ter se encerrado na pista, eis que surgiu a notícia de que os Fórmulas de Chico Lameirão e de DeLamare seriam desclassificados por alterações no comando de válvulas, equipados com separadores de aço nas molas do balancim (maiores esclarecimentos, encaminhar perguntas para meu assessor técnico, Rui Amaral Lemos Jr.). Após o bate-boca que se seguiu, a Confederação Brasileira desconsiderou a denúncia, uma vez que o regulamento da categoria era, até aquele momento um documento teórico e para resolver a questão, nomeou o dirigente gaúcho Ibraim Gonçalves para redigir um novo regramento. A próxima etapa seria realizada em Interlagos e teria também, peso duplo: valeria pelo brasileiro e pelo torneio paulista. Seria tão agitada?

CARANGUEJO



-----------------------------------------------------------------------------------------------

Sou eu palpitando novamente num texto do Caranguejo, desta vez "à pedido". Quando ele cita "separadores de aço nas molas do balancim" acredito, mesmo sem consultar o Crispim ou o Chico, que sejam o que chamamos de calços de mola, são arruelas de aço colocadas na base das molas para que elas tenham mais pressão, artificio usado principalmente nos motores com preparação limitada pelo regulamento. Elas dão mais pressão às molas permitindo que o motor trabalhe em rotações mais altas sem que as válvulas flutuem prejudicando o rendimento.

    
Agora que já palpitei vou colocar abaixo em azul a resposta do Chico ao comentário do Walter no primeiro post de "CANCHA RETA" e salientar como é importante para nós, seja um campeão como o Chico ou um Alicatão como eu, a lembrança e o reconhecimento das pessoas que nos viram atuando. 

"AO WALTER........‏

Chico Lameirao   14/11/2014   Manter esta mensagem na parte superior de sua caixa de entrada  
Para: ruiamaraljr@hotmail.com
chico.lameirao@....
........... , pois é amigo WALTER, li seus comentários e respostas de meu tambem amigo RUI AMARAL e o que tenho a comentar de uma maneira geral, pois estou começando a escrever um livro e aí espero que tenha mais detalhes, é que a vida sempre te oferece um """ bonde""" que ou porque você é jovem ou porque não esta """ escrito""" você consegue o """ perder""" , e aí não tem mais jeito....... , só em outra encarnação !!!!! Um outro motivo  talvez tenha sido a educação que recebi de meus pais, na qual tenho que sempre falar a verdade mesmo que esta seja contra mim, e isto no pais em que vivemos, muitas vezes você é """ crucificado""""" por dizer a verdade.....somos por excelência o PAIS das """" meias verdades"""" e você seguindo essa linha poderá ir longe por terras TUPINIQUINS .....!!!!!!!!!! Tive , acho, umas três a quatro oportunidades perdidas que hoje as vejo como cruciais , mas enfim é a vida.....!!!!!!!
Por outro lado, estive ao lado de pilotos absolutamente fantásticos como LUIS PEREIRA BUENO, CHRISTIAN HEINS, CARLOS PACE, WILSON FITTIPALDI e seu irmão EMERSON, BIRD CLEMENTE , MARIO CÉSAR CAMARGO FILHO (((( MARINHO))))) CIRO CAYRES e RICARDO ACHCAR este o melhor """ acertador """ de um carro de corrida que já vi até ao presente momento além de piloto muito rápido também , além da geração (((( passei por três gerações de pilotos do SEU CHICO LANDI até ao NELSON PIQUET))))) de INGO HOFFMANN , GUARANÁ MENESES, CHATEUBRIAN e o próprio PIQUET........


Abraco amigo de CHICO LAMEIRÃO"

É isto, um forte abraço à todos,

Rui Amaral Jr 



terça-feira, 11 de novembro de 2014

Nas duas e quatro rodas!

Tazio Nuvolari
Tazio na Auto Union 1938, quando ninguém mais podia vencer ele era chamado!
 Em Monza 1928



Comentando hoje no blog de meu amigo André com o Borgmann a bela foto de Mike The Bike em Interlagos falamos dele de Big John Surtees e citamos outros grandes nomes do motociclismo. 
É complicada e tarefa de sair das duas rodas e passar para as quatro e não foram muitos os que conseguiram à contento, mas também é complicado para mim lembrar de todos, e com minha habitual mania de nada consultar vou escrevendo ao vento e vou tentar me redimir um pouquinho aqui.
Falamos do Expedito Marazzi que era bom nas duas e quatro rodas mas deixei de lado tantos e tantos pilotos que admiro tanto e que jamais poderia esquecer.
O assunto dessa transição foi motivo de muitos papos com o Expedito mais de trinta anos atrás. A maior dificuldade para o motociclista quando pilota um carro é a aproximação das curvas, a freada que nos carros é muito mais “lá dentro“, o contorno das curvas que mesmo hoje em dia o das motos é mais lento e a retomada quando transmitir a potencia ao solo é mais difícil numa só roda, acredito que não mudou muito ou então veríamos o grande Valentino Rossi pilotando uma Ferrari!
E para compensar meu esquecimento vou citar alguns grandes nomes que foram botas nas duas e quatro rodas; os campeonissimos Tazio Nuvolari e Alberto Ascari, também Johnny Cecotto, Adú Celso,  Carlinhos Aguiar, Jean Pierre Beltoise...

Big John 
México em 1970 com a Cooper-Maserati
Com a incrível Norton Manx, no ano de 1955 venceu com ela 68 das 76 corridas que participou.

Expedito
 Na Divisão 3
Com uma Honda 750

Beltoise
 Mônaco 1972 com a BRM.
Com uma Morinni 250cc

Adú Celso
 Com a Yamaha 350 TZ
Na Formula 2.

Mike "The Bike" Haiwood
 Com a Surtees TS19
E a MV Agusta



sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Old Stock

Velocult no Transamérica até 12 de Dezembro.

Ontem Paulo Solariz nos recebeu no Hotel Transamerica onde está ótima exposição Velocult para a apresentação da Old Stock, categoria que vai usar os Opalas que correram na categoria nos anos 80 agora com uma apimentada na preparação.
Como sempre o Paulos nos recebeu em grande estilo, nas fotos grande parte de todos que lá estavam.
Parabéns Paulo, obrigado e um abração.

Rui Amaral Jr  

Aglaci e Paulo Solariz
 Luiza e Bird Clemente com Ronaldão Nazar e Ricardo Bifulco
Bird e Luiza com a neta e um amigo.
Com Bird e Mônica Niculitcheff.
Alfredo Gehre e Paulo.
Dimas de Mello Pimenta, Bird, Humberto Roperto.
 Alfredo, Àguia um amigo, Bird e Guaraná. 
 Gláucio Teixeira e Alfredo
De óculos atrás João Carlos Bevilacqua, Mônica, Ronaldão e Duran...amigos queridos. 
 Paulo e George Lemonias
Meus amigos queridos Regina Calderoni, Gláucio e Cassio Toledo
Águia, um amigo, Lemonias, Dimas, Paulo, Bird, Rodrigo Mello Pimenta e Roperto.
 Luizão e Lemonias, mais para frente eles vão nos contar como anda o Old Stock.
 Com Alfredo, Lemonias e Duran
 A super querida Regina e João
 I mei fratelli João e Oídeo Campos.
 Duran, Alfredo, Ronaldão e Lemonias.


 Duram espantado o que teria ele visto, com Marcelo Freitas e João!
 Humberto da Silva o fotografo fotografado e um amigo.
 Regina e Oídeo
 Dú com dois amigos e Marcos Guida Ponce.
 Dimas, Jan Balder e Guaraná.
 Meus queridos Simone e Ricardo Bifulco com Bird, Paulo Gomes e Duran.
De barba Gabriel Marazzi
 Sai prá lá Ronaldão....segurando a Lola T70 de Ricardo!
 Kiko Iório e Ricardo 
 Não lembro direito os nomes!rs
Ricardo e Guaraná
Ana Raquel Iório e as miniaturas que Kiko faz em papel.
 Kiko e Marcos
 Paulo e Kiko
 Rodrigo, Dimas e Paulão.
Paulo e Kiko



FOTOS: Cassio Toledo, Anderson Zanbrzycki

---------------------------------------------------------------------------------------------
E no sábado e domingo...