A VERDADE NÃO SERIA BASTANTE PLAUSÍVEL SE FOSSE FICÇÃO - Richard Bach

domingo, 31 de janeiro de 2010

UMA BELA SEMANA.

A semana que passou tudo aconteceu, o Ricardo me liga contando do novo FORUM da FEI, estava escrevendo sobre o motor REPCO que dominou com Jack Brabhan o começo da Formula I de 3.000cc quando recebi a foto do Caranguejo e o FEI X9, havia mostrado o Clark em seu Cortina e recebo outra foto do Caranguejo mostrando o grande piloto bem de perto. Ontem quieto, o Jr Lara me convida a andar de Kart hoje, o que não pude fazer. Aí o Ferraz me manda as fotos do carro que está sendo feito com carroceria de Fusca e todo mundo fica louco.
Quando a Graziela escreveu pela primeira vez aqui me perguntou qual era a pauta, ora a pauta é essa, nenhuma, sempre que penso escrever algo um amigo me envia uma foto ou um texto e lá vou eu. Graças a DEUS.
 
Jr e seu neto André Lara Campos Takla. O pai do André é arqueológo mas o filho quer mesmo é saber de acelelerar, fica numa Kombi velha que o Portuga tem na fazenda acelerando e fingindo pilotar e ninguém o tira de lá. O Portuga só sorri!


Será que com o novo carro vai se repetir esse podio, João Lindau, Orlando Belmonte, José Ferraz e Bruninho em primeiro! Certamente se eu correr não, o Orlando até pode beber Chanpangne mas certamente quem estará no topo serei eu! E o Francis lá de Sta Catarina só sonhando...Mostra lá Francis que teus pequenos vão correr com o André!



Em 1966 Black Jack sorri com seu Brabhan e mostra o motor Repco que lhe deu o Campeonato do Mundo de F I. Coincidência ou não quando escrevia sobre esse motor o Ricardo me contava da participação de Jack no projeto do Formula I da FEI na década de 70.
 
Um agradecimento, na semana que assou o blog atingiu segundo o Google 50.000 acessos. Obrigado a todos que até aqui me apoiaram e apoiam e benvindos os novos seguidores.

sábado, 30 de janeiro de 2010

UMA NOVA PROPOSTA

Rui esse Fusca vai resgatar toda a nossa turma e tem muita gente que está babando. É feito pelo Marquinhos da Cremer, até o Manelão já viu e falou que é um DV3 moderno... o carro tem um chassi tubular muito semelhante ao do Audi Spayder, motor do Focus 2.0 de 250cv o mesmo motor que estão usando na F3 hoje, o cambio é do Passat alemão...vai ser uma brincadeira legal e vai pegar, eu já fui convidado a pilotar esse carro quando for pra pista.....e tem mais o piloto esta sentado no centro do carro...vai virar bem, também o Leandrine já está ligado no carro...olha o pessoal da DV3 de volta cara....abs. José Ferraz.





FEI FORMULA I

Recebo do Caranguejo a foto do FEI X9, dizendo que era um carro de Formula I projetado pelo Rigoberto Soler para o Julio Caio, digo-lhe que parece um Super Vê, lembro de ter visto o carro na época e que ligaria ao Ricardo para saber mais sobre ele.
Falando com o Ricardo minutos depois fico sabendo mais sobre o carro. Era realmente um projeto de Formula I, contando com o incentivo e participação inclusive de Jack Brabhan, Tri Campeão Mundial de Formula I como piloto e até então Bi como construtor.
O projeto de Rigoberto Soler, seus construtores Hamilton Veloso e Ricardo Okubo. Seu monocoque era todo em alumínio, sua suspensão em alumínio fundido, freio único dianteiro inboard. O freio único dianteiro uma loucura, parece que havia uma espécie de diferencial para levá-los às rodas.
O desenho de seus aerofólios dianteiro e traseiro visava à sustentação do carro, em curvas e parece que foi copiado pela Ferrari T5 e por um projeto da Tyrrell.
Todo projeto foi financiado por Stanislaw e João Franco. Stanisnaw parece que ficou com o carro que acabou se perdendo.
Logo contarei mais sobre este carro.

Obrigado Ricardo e Caranguejo.


sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

SEXTA FEIRA CHUVOSA

 Sexta feira de tempo ruim, bom para ficar remexendo em alguma coisa. Desde as oito horas da manhã o Jr Lara me liga de dez em dez minutos "estou colocando a musica tema do Ayrton no blog, como faz isso, como faz aquilo?" ou "como é o nome do Paperslotcar?". Respondo que é Fábio e ele "espera um pouco vou pegar o óculos" desse jeito não aguentoo!!

http://historiasquevivi-jrlara.blogspot.com/   

Agora já dá para ouvir o tema do Ayrton e ver seu carro na versão do Tito, Caraguejo e Fábio Poppi. E ouvir o tema que ficou emocionante como tudo que lembra o Ayrton. Bôa Jr!









  Agora um achado fabuloso ninguém menos que Jim Clark dando uma aula de pilotagem em Turismo com seu Cortina-Lotus-Ford, em Crystal Palace 1964,imperdivél!



 Ao Jr, Fabio, Tito, Caranguejo, Fabiano e a todos bom final de sexta chuvosa.


UM POUCO DOS BELOS ANOS 60

Hill, Clark e Rindt em Goodwood 1966 Formula 3.

Foi uma grande década para o automobilismo mundial, Black Jack começou como Campeão do Mundo de Formula I pilotando uma Cooper-Climax aliás Bi já que venceu também em 1959. Foi o começo da FI de 1.500cc, regulamento que valeu até 65, quando começou a F I de 3.000cc.
Seguiram a ele Phil Hill de Ferrari 1961, Grahan Hill de BRM em 62 que repetiria o feito em 68 de Lotus-Coswort, 63 consagrou meu maior ídolo Jim que outra vez foi Campeão em 65 com Lótus, em 64 vindo das motos onde venceu de tudo Big John levou a Ferrari a seu quarto titulo Mundial. 66 e 67 Black Jack resolve construir seu próprio carro de Formula I o Brabhan, usava um motor Australiano o Repco desenvolvido a partir de um bloco de série e em 66 se torna Tri Campeão Mundial de F I fazendo Hulme Campeão no ano seguinte. 68 vê a chegada do provavelmente melhor motor de F I de todos os tempos, o Cosworth, dois gênios Ingleses foram os responsáveis o projetista Keith Duckworth e Mike Costin, este ultimo vindo da Lótus, logo a Ford viu no Cosworth DFV V8 um vencedor e encampou todo projeto vindo o motor a ser Ford-Cosworth. Também foi o ano em que os aerofólios começaram a ser usados. Em 69 o Campeão foi o piloto que mais batalhou pela segurança nas pistas Jackie Stewart correndo com um Matra-Cosworth chefiado por Ken Tyrrel. Ah... 1969 foi também o ano que mostrou Emerson Fittipaldi ao mundo.


Jack Brabhan e Denny Hulme Formula 2 em Goodwood 1966.

As histórias desses campeonatos vou com o tempo mostrar todas, hoje quero mostrar que esses super pilotos nessa época corriam em varias categorias, às vezes no mesmo dia. Eles não levavam para as pistas massagistas, psicólogos, assessores de imprensa, simplesmente sentavam em carros de Turismo, Formula 3 e 2, Protótipos e sentavam a bota, algumas vezes brigando com pilotos mais novos se lançando ao mundo e com muita vontade de vencê-los.
Clark como já mostrei corria de Turismo com o Ford-Cortina-Lotus de protótipos com um maravilhoso Lótus e de Formula 3. Hill, Brabhan, Stewart, Hulme enfim todos, para inclusive completar seus orçamentos corriam nas categorias menores e nelas desempenhavam e lutavam com bravura, talvez até esquecendo que já tinham chegado ao topo.


Mike Spence de Parnell seguido de Mike Beckwith de Willment 1966.


Logo após a largada na F3 o grande pega.

A todos eles meu respeito e admiração.


quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

DESANUVIANDO.

Depois das broncas nas postagens anteriores só lembrando mesmo os bons momentos do Sábado. O Ferraz estava impossível, vou gravar umas cenas dele contando como acertava o carro para mostrar a todos, o Fernando chegou duas horas antes e ficou treinando e depois disse que na caixa só tinha aceleradores ainda por cima de seu filho. O Fabio até que estava quieto para depois descontar tudo em seu blog. O Luiz Guimarães pai do Fabiano chegou cantando pneus e disfarçando com o Fernando, deve ter treinado tambem antes de chegarmos. O Orlando chegou mais tarde com a Edna e a Emyli que por sinal é belissíma, foi muito bom revê-lo. O Francisco ficou qrande parte do tempo andando de autorama, e no carro do Jr Lara, como é que pode!!! Por falar em Jr me disse que no próximo encontro vai, riu à vontade e diz que colocou as fotos em seu blog, só que não achei. Faltou o Tito, Caranguejo, Duran e um monte de amigos que logo vão estar reunidos.
Fabio, Tito, Caranguejo obrigado pelas obras de arte que voces fizeram.


Francisco, Rui, Fernando, Orlando, Ferraz e Fabio Poppi.













Orlando, Fernando e Fabio. 


Agradeço as fotos ao Orlando e Fabio.                                                                                                   
        

DESABAFO II - OS DONOS DE NOSSO AUTOMOBILISMO.

Antes de tudo quero dizer que a demora na publicação dos comentários é culpa da chuva torrencial que cai em minha região e me deixou ontem o dia todo sem Internet.
Ontem ao me enviar o texto “DESABAFO” o Ferraz ao telefone me falou “se exagerei corta alguma coisa”. Ora quem sou eu para editar qualquer texto, ainda mais de um amigo a quem respeito e admiro por toda sua batalha dentro e fora das pistas para trazer ao nosso automobilismo categorias decentes e de pouco custo, que possam colocar mais pilotos em nossas pistas. Concordo com ele em gênero numero e grau.
Há muito tempo nosso automobilismo vem sofrendo nas mãos de pessoas que só o usam para proveito próprio. Altaneiros e posudos desfilam como os donos de nossas pistas, só que a única coisa que lhes interessa é a arrecadação da venda de licenças e inscrições para corridas organizadas pelos “seus” clubes.
A eles não interessa que os pilotos tenham a necessidade de divulgação de suas corridas e do publico em nossos autódromos. A nós o que interessa são categorias fortes, não importa se Turismo, Formula ou Protótipos, em que os pilotos não precisem comprar carros de um construtor agregados aos esquemas falidos. Interessa também a divulgação e o publico nos autódromos, pois alem do amor pelo esporte o reconhecimento e o carinho dos torcedores é fundamental. Abaixo os comentários de ontem sobre a postagem “DESABAFO”, todos amigos que entendem um bocado do assunto, Fabio, Fernando, Fabiano, Duran, Tito, Francis, Carlos Eduardo e Mike.
Fico aguardando os textos de meu amigo Mike sobre sua passagem pela Stock Cars, cheio de aventuras e também rasta pés sofridos por ele.
Abraços a todos.


Rui Amaral



Duran disse...

É verdade, dessa vez o Portuga está certo. Mais fazer o que né?

26 de janeiro de 2010 12:10



fabiano70 disse...

Ferraz, acredite se quiser, largaram 17 carros Domingo, uma farsa, não uma corrida. Aquela Mil Milhas com 76 carros, tinham 89 inscritos, alguns ficaram de fora...depois chamam a gente de saudosistas...o automobilismo brasileiro acabou !!!

Abraço,Fabiano.

26 de janeiro de 2010 13:00



Tito disse...

sou fã de tudo que tem motor e corre, tenham 4, 2, 8 ou nenhuma roda.

a meu ver, enquanto as coisas estiverem dessa forma, com uma empresa tocando as bolhas, outra os caminhões, outra a cervejaria,sem mencionar nome dos patrocinadores (que, afinal, é quem paga as contas), enquanto piloto de bolha não puder correr de caminhão, motorista de caminhão não puder correr de monoposto, nosso automobilismo vai encolher cada vez mais.

como pode um dirigente exterminar um autódromo como o do Rio?

como pode "a mais importante categoria do automobilismo brasileiro" abandonar Tarumã, e correr naquele aborto que é o circuito de rua de Salvador?

vai precisar de um grande movimento para conseguir reverter esta situação.


26 de janeiro de 2010 15:03



Hiperfanauto disse...

É o Ferraz esta coberto de razão. Automobilismo (pelo menos o aqui de São Paulo) há muito deixou de ser aquele espetáculo que formava congestionamento de carros na saida do autodromo, parecendo até final de partida de futebol no Morumbi. Interessante é que se sairmos por este Brasil afora, a realidade das pistas de terra do Sul, dos rachas de arrancada, dos circuitos de moto por este interior e mesmo da tão discutida Formula Truck a situação de prestigio popular é bem diferente. Será que é porque não esqueceram de divulgar com antecedência o evento e proporcionar ao público, grids cheios de heróis e máquinas da sua realidade cotidiana ? Prestígio popular, atrai Patrocinador, e na esteira deste sucesso aproveitando a deixa, a Mídia. E assim forma se o circulo vicioso para o bem do esporte e do público fanauto.


26 de janeiro de 2010 16:48



Mike disse...

Ferraz

Infelizmente você está absolutamente certo . Esse cancro no automobilismo brasileiro vem de muito tempo e quando eles se cansam de brincar de carrinho , voltam para seus elegantes escritórios e deixam pra traz esse rastro de miséria . Sim , porque as Mil Milhas viraram 1000 Kms , depois vão ser 6 Horas , depois passam a ser 2 Horas e assim por diante , até ficarmos com arrancadões de 400 Mts . Que é o que vai sobrar .

Em 1982 , participei do Campeonato Brasileiro de Stock Car , não sei se você se lembra , foi o ano que houve a grande transformação da categoria , com o regulamento liberando rodas maiores e pneus slick , comando de válvulas e carburadores importados (outra grande sacanagem pra favorecer alguns poucos CONTRABANDISTAS de plantão). Pois bem , a 1ª prova foi 4 de abril em Brasilia , em junho os "caciques" da categoria já estavam fazendo reuniões no escritório da GM na Al.Santos para mudarem o regulamento . Participei de algumas , sendo contrário as mudanças , pelo menos naquela altura do campeonato . Até que , tivemos uma discussão onde me foi dito que se eu não tivesse condições de arcar com as mudanças , que eu comprasse um tenis e fosse participar da São Silvestre . Aí mandei eles se Fud.... e nunca mais participei de reunião nenhuma das comadres . E eles continuaram a mexer no regulamento no decorrer do ano , conforme suas conveniências . Uma dessas mudanças , vim descobrir por absoluto acaso tres provas depois . Ou seja , eles mudavam o regulamento e sequer nos avisavam . Nem assim eles conseguiram fazer alguma coisa naquele ano , o Alencar foi lá e enrrabou eles todos , um deles andava comigo lá atrás e os outros dificilmente passavam do meio do grid . Eu gostei muito .

A propósito , o motivo da minha discussão , foi aquele malfadado cambio que eles inventaram , que até o verdureiro da esquina sabia que aquilo não poderia dar certo . Consistia no seguinte : Pegavam um carretel original , no torno , retiravam a engrenagem da 3ª, faziam outra que eles achavam a ideal , esquentavam a engrenagem e resfriavam o carretel , encaixavam a engrenagem no carretel e em seguida rebitavam . rsrs TÁ BOM ? . Agora me diga se alguem com um mínimo de conhecimento de como funciona aquela merda , poderia achar que uma gambiarra daquele naipe poderia dar certo ? Francamente !!! Tudo isso foi feito em uma industria do Eugenio Martins e nos OBRIGARAM a engolir essa trolha , goela abaixo , quem não estivesse com o tal cambio , estaria fora do regulamento , por tanto seria desclassificado . Pois é , essa "engenharia" não aguentou ao 1º treino livre , quebraram TODOS , a classificação já foi feita com o cambio original . Na reunião de pilotos no domingo , deixei claro minha indignação , onde alguns pilotos me aplaudiram , e terminei dizendo que achava que quem deveria comprar os tenis e participar da São Silvestre eram eles , e sugeri que comprassem os tenis e não fizesse nenhuma engenharia , pra não correrem o risco de nem chegarem a Av. Paulista para a largada . Aí o riso foi geral . Pra terminar , nunca mais falaram no tal do cambio , não tenho certeza , pois já não participava mais da categoria , fui só até o meio de 85 , mas ACHO que usaram o cambio original até 1990 ou muito perto disso .


26 de janeiro de 2010 17:25



Mike disse...

Desculpem , esqueci de mais uma , os "engenheiros" erraram no cálculo da engrenagem e ficou muito longo , tivemos que comprar coroa e pinhão do Opala 4 Cil. que era mais curto . Quando a coisa melou , todo mundo inclusive nós tinhamos cambio reserva , então fora a despesa , não houve muito problema , mas o idióta aquí teve que participar de duas provas , por falta de grana , com o diferencial curto do 4 Cil.

Bom , é isso , qualquer hora gostaria muito de contar essas histórias . Porque quem via de fora não fazia a menor idéia do que estava acontecendo e ficava na cerca criticando sem o menor fundamento . É aquela história , Escuta o Galo Cantar , Não Sabe Aonde Mas Sai Cacarejando Tambem , Ta cheio disso .

Eu sempre disse uma coisa . Corrida de automóvel pra mim é legal da bandeirada de largada à bandeirada de chegada . Porque , aquela parte que fica entre a bandeirada de chegada até a próxima bandeirada de largada , é a maior MERDA que existe .

Um forte Abraço a todos e desculpem se me estendi demais .

Mike


26 de janeiro de 2010 17:27



Mike disse...

Fabiano

Faz tempo que queria lhe falar , sempre gostei muito dos seus comentários , você sabe o que diz ,não fala bobagem , como alguns que se dizem PROFISSIONAIS e só falam besteiras sem o menor conteúdo . Você sabe do que estou falando . aguarde que em breve vem bomba por aí . É sempre bom ler seus comentários . Um forte abraço e espero um dia conhece-lo pessoalmente .



Tito


Essa categoria que você se refere , só está em pé ainda , porque se tornaram uma enorme LAVANDERIA , da Truck não posso falar nada , porque realmente não a conheço , nunca assistí uma prova se quer . Infelizmente , vejo um futuro negro para o nosso automobilismo .

Sobre Salvador , é o estilo que essa molecada de hoje gosta , acelera e freia , acelera e freia , já Tarumã , tem curva lá que é pra quem tem 3 bolas , o que na Stock de hoje são pouquíssimos .

Abração



Rui

Outro dia vc perguntou kd eu ?

Eu tô aquí Ó , Ce num mi vê porque eu sou piquinininhoooo!!!

Andei fora , agora pondo a casa em ordem , apareço . Vamu contanu estória . Essa meninada de hoje acho que nem isso eles vão ter pra contar . kkkkkkkkkk

Abração pro c tambem

Viu como to moderninhu ?

To peganu a mao de escreve na internet . Um dia chego lá . KKKK


26 de janeiro de 2010 18:00






GP Oficina Mecânica disse...

Estão mais que certo seus comentários...

É muito triste ver como as coisas acontecem, ainda mais enxergando que tudo já foi melhor e poderia ser melhor ainda...

Quanto ao vídeo, muito legal, eu tenho uma cópia de DVD aqui falando tambem da Formula Super 1600, era de Gilberto Lima que andou tambem e um amigo da oficina... Tem inclusive umas imagens dos carros andando e uma rodada do Ferraz que fez o Giba passar ele e terminar em 2º...

Abraço

Carlos Eduardo Szépkúthy


26 de janeiro de 2010 18:37






ferraz disse...

Pois é Tito para mudar, volto a falar o que falei,(tem que morrer toda essa corja de safàdos que estão nos cargos á muito tempo dos clubes e federações) agora Fabiano vc falou da quantidade de carros que largou....hahahah....isso não é novidade pra mim, pois tenha a certeza de uma coisa, eles levaram de cada piloto, 5.000,00 de quem se inscreveu até dezembro e quem deixou pra depois, pagou 6.000,00....então tira por mèdia tres pilotos por carro dá....255.000,00 a cinco paus, a seis dá .....306.000,00 ....então é isso que é importante para os clubes.....que mérda, porque eu não escolhi outro esporte, poderia ser jogador de futebol que teria mais valou...abs.

26 de janeiro de 2010 19:54






Francis Henrique Trennepohl disse...

Assino aonde, Ferraz? Você está coberto de razão da cabeça até os pés, infelizmente.

Infelizmente porque quem ama o Automobilismo tá vendo o esporte se acabar pela gana de alguns que enriquecem com on esporte em menos de uma década.

Pegando emprestado um trecho do comentário do Fabiano, "depois chamam a gente de saudosistas". Pois é...


26 de janeiro de 2010 21:21






PAPERSLOTCAR disse...

EStava eu meio que de alerta na quipe lobo nesse domingo na corrida e durante umas indas e vindas encontrei um grande amigo e colega de equipe dos tempos da truck.
Eis que ele me conta que a lambo branca na pista estava apenas fazendo acerto de pista pois fica mais barato inscricao de prova que aluguel de track-test, cai de queixo ao saber que a prova custava 5000 reais e o track-test custa o dobro.

Ai entendi pq eles davam 20 voltas e entravam pro box, ficavam meia hora e de volta pra pista.


26 de janeiro de 2010 21



Duran disse...

rsrsrs, porque que eu não me dediquei a ser dirigente de automobilismo??? a 5 paus a inscrição para MM ixxe, fora os cheques perdidos, daria para tomar bastante cerveja.


kkkkkkkkkkkkkk


27 de janeiro de 2010 09:13






Ferraz disse...
Mike só dando mais um parecer para o seu comentário, já passei por tudo isso que vc falou e até mais, mas eu estou aqui para dar mais uma palhinha.....sempre falei até por questão de grana de alguns pilotos para se manter no gride, que não era bom mexer no regulamento, o que estava sim precisando era injetar dinheiro nas categorias de patrocinio....moral da história, o pessoal tem que se preocupar sim em melhorar as categorias presentes, não criar mais.....a DV3 acabou pelos bacanas dos passat, que eram os principais,Xandi Negrão, Jaime Figueiredo e outos, e ai em 84 eu resgatei o nome da DV3 e nós tinhamos dezoito carros no gride e a hot car oito....tambem na formula super 1600, ela acabou porque mudaram sem minha autorização o regulamento para favorecer certos pilotos que tinham comprado carros da formula 3....ai eu sái fora fiquei 8 meses fora da cotegoria mexendo no carro, um belo sábado fui treinar, via os caras viranto quarenta alto e não baixavam disso, entrei na pista com o meu carro e virei 1,388 , virei as costas e nunca mais andei vendi o carro e foi isso.Enquando os caras não melhorarem as categorias que já existem, não vái adiantar mexer em regulamento para encarecer ou fazer outras, vou sitar uma delas lá na Ingraterra.....formula Ford, ela existe até hoje, aqui mudaram tanto ela que já era, então aqui no Brasil desse jeito como tem que funcionar um automobilismo de primeiro Mundo...è piada meus amigos.abs.


27 de janeiro de 2010 09:21

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

II FORUM DO AUTOMOBILISMO BRASILEIRO-FEI/ RICARDO BOCK




CONSTRUTORES BRASILEIROS 1960/70




O Ricardo me liga todo entusiasmado “no final de Abril sai o II FORUM”. Agora ele pretende homenagear os construtores que no Brasil fizeram os Divisão 4 e outras categorias de Protótipos que por aqui correram. Está feliz por fazer o que gosta e poder homenagear um monte de amigos que participaram dessas categorias. Caso alguém tenha algum desses carros deixe, por favor, em comentários com o e-mail, que não publicarei, e entrarei em contacto ou converse na FEI diretamente com o Ricardo.

Sei Ricardo que você vai ficar nervoso até o dia D e ter inúmeros problemas, mas sei também que com todo apoio do magnífico pessoal que te assessora e sua competência esse II FORUM vai ser um sucesso como o primeiro.

DESABAFO.

Pois é Rui, este filme tem a saudosa pista antiga de Interlagos em 1988 com a Super 1600 e nela tem momentos e disputas com vários amigos da antiga, tem também um amigo que eu tenho muitas saudades, é o Toninho que trabalhou muitos anos na Federação Paulista de Automobilismo. Este filme tem vários cortes, porque são várias corridas, dá para mostrar para pessoas que só sabem meter o pau cobrar e desfazer aquilo que outros assim como eu construíram, um grid com mais de vinte carros e com pilotos de bagagem que também passaram pela F1...Pois essas panelinhas de Clubes e Federações que não fazem nada pelo automobilismo, deveriam cair fora e colocar um piloto á altura para direcionar o automobilismo, agora essas panelinhas! Ficam só atrapalhando tudo e todos, e criando categorias falidas a meu ver. Pois tem por exemplo, este final de semana, no qual foi realizada a tão tradicional corrida que para nós os mais antigos, seria a famosa Mil Milhas Brasileiras com a organização do meu amigo Zé Roberto do Centauro Motor Clube, que divulgava e mantinha o autódromo cheio.Então meus amigos, eu que estou por dentro das coisas de corrida, pouco ou nada escutei de divulgação da prova de 1000km de São Paulo que foi realizada neste Domingo com largada ás 12horas e muito pouca gente estava sabendo,só hoje segunda feira procurei alguma noticia da prova e com muito custo eu vi uma notinha na Internet...sim notinha, porque a evidencia do final de semana foi a F3, porque foi a primeira prova do ano e também estão fazendo um intercambio com pilotos estrangeiros.Meus amigos se eu começar a falar de coisas erradas do nosso automobilismo, não paro mais, porque o nosso automobilismo está a meu ver fora da realidade, não adianta trazer canhões carros caros tecnologia de primeiro Mundo ou coisa assim, porque nos não somos de primeiro Mundo e nem temos bala para agüentar uma categoria com esses porte, por isso que as categorias não duram muito tempo...categorias caras é pra meia dúzia de bacanas.Bom vamos parar por aqui e é esse o meu ponto de vista e se eu estiver errado que me perdoem os que não concordam, mas tenho a certeza que a maioria vai estar comigo. A meus amigos, eu falei do Centauro Motor Clube, porque um bacana de grana alta tirou a nossa famosa Mil Milhas do Centauro para poder trazer os canhões da Le Mans Series, por isso que os direitos das Mil Milhas foram por água abaixo... agora eu pergunto para as pessoas que meteram o pau em mim quando eu falei que não iria dar certo...( cadê as Mil Milhas dos bacanas que vieram com 16 carros) que vergonha! Nossas Mil Milhas, uma das que eu participei largaram só 76 caros, isso sim é fazer corrida, agora me desculpe o professor Carpinelli que eu o respeito e tenho-o como um grande amigo, ele criou esses 1000 KM para ficar no lugar das Mil Milhas, mas não adianta só o professor agitar porque a corja atrás dele é grande e não gasta nada em divulgação... ou seja, depois que eu parei, nada mudou...Abs. José Ferraz.







Pois é Ferraz, essa situação vem de muito tempo. E enquanto não tivermos um automobilismo forte nas bases, atraindo publico ao autódromo, divulgado em jornais e revistas o que trás patrocinadores e apoio que nossos pilotos tanto precisam vamos continuar sem saber o que acontece em nossas pistas. Rui Amaral.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Stirling Moss - GP da Argentina 1958


    Stirling Moss e o Cooper Climax T43 da Rob Walker.

Somente dez carros se arriscaram a ir ao primeiro GP do ano na Argentina, a nova regra que obrigava o uso da gasolina de aviação-Avgas- deixou as equipes vacilantes, enfrentar o forte calor de Buenos Aires e ainda com um combustível a que não estavam acostumadas deixou grande parte delas em suas sedes na Europa.
A Vanwall equipe que Moss correria a temporada liberou seu piloto para correr pela equipe independente de Rob Walker que correu com um Cooper-Climax T43. Diferente dos belos Ferrari, Maserati, Vanwall o pequeno Cooper era feioso, mas sua configuração de motor central traseiro veio para ficar e mudar a Formula I que começava sua nona temporada. Seu motor Climax de quatro cilindros em linha com 2.000cc tinha 100hp a menos que os potentes seis em linha e 2.500cc de seus adversários. Outra grande vantagem desse pequeno notável Cooper, pesava apenas 370 kg bem menos que os 650 kg de seus rivais. Com uma aerodinâmica bem melhor era quase tão rápido quanto os grandes nas retas e freadas era muito superior aos demais devido ao seu baixo peso. Suas rodas de alumínio de quatro parafusos contra as raiadas de cubo rápido dos outros tornaria a parada para troca muito demorada, então a equipe contando com a capacidade de seu piloto em agüentar o forte calor de Buenos Aires, sua resistência super comprovada quando venceu as Mille Miglia de 1956 a bordo de uma Mercedes SLR, e o menor consumo do pequeno motor Climax, optou por não fazer paradas durante a corrida.



O grande Fangio e a Maserati 259F, foto do GP de Monza em 1957.

Moss largou em sétimo no grid de apenas dez carros, mas na primeira volta já vinha em quinto pressionando a Ferrari de Cliff Allison. Fangio com sua Maserati reinava absoluto na ponta naquele que seria seu ultimo GP em casa. A maioria dos carros largou com meio tanque para que seus pilotos parassem e se refrescassem e hidratassem, chegando alguns carros a serem pilotados por três pilotos. Quando no meio da corrida Fangio fez sua parada Moss tomou a ponta para não mais perde-la não bastando a seu ex companheiro de MB fazer a melhor volta e andar no limite o tempo todo. Com sua vitória a Formula I tinha mudado.



Naquele ano o companheiro de Moss na Vanwall foi campeão do mundo- uma história bonita de honestidade da parte de Moss que pretendo contar um dia- o ultimo com um carro com motor dianteiro. Logo no ano seguinte um certo Australiano, Black Jack, levaria a Cooper a dois títulos mundias 1959/60. Outras grandes histórias.................


domingo, 24 de janeiro de 2010

Apenas Jim



Brandas Hatch 1966.

Brands Hacht 1966.

Gold Cup, Snnerteton 1966.

Entre uma corrida de Formula I e outra de E.Protótipos Jim Clark tinha tempo e vontade de correr em Turismo com um Lotus-Ford-Cortina, os relatos de quem o viu pilotando esses carros são de arrepiar. Vinha rápido e forte o tempo todo, enfrentando carros de maior potência de igual para igual. Muitos anos atrás li em Inglês ( para mim quase impossivel) sôbre a primeira vez em que ele pilotou um carro de corridas, era um Auto Union-DKW- de um amigo seu campeão Escocês da categoria, em um autódromo que não conhecia, ao final do dia tinha colocado apenas 5s( cinco segundos!!) no melhor tempo de seu amigo. Sua incrível carreira começou aí.
Ao Romeu e Caranguejo.   

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

ÁUSTRIA 1972


Tite Catapani Porsche 908/2 e Ronnie Peterson Ferrari 312 P2

Meus Caros Amigos.




Historinha ? Em 1972 a Equipe Hollywood enviou o Porsche 908 a Sttugart para trocar o motor e aproveitamos para participar dos 1.000 Km. da Áustria ? ?Mundial de Marcas?. Tite Catapani e Eu fomos então para Zeltweg. Só chovia, direto e forte (verão europeu). Com o motor novo, comecei a andar, suave, para assentamento do motor nos treinos de quinta feira. Na sexta, continuava a chover e dividi com Tite a tarefa de ?andar manso?, que nos foi útil para nos adaptarmos a pista. Circuito de alta, sinuoso, como havia na época, média de 200 Km/h. Média que tínhamos em Interlagos em provas pelo anel externo.
No sábado, ainda com chuva já liberados do amaciamento, começamos a andar mais rápido, ou seja, a andar como sabíamos… Pudemos então observar melhor nossos adversários! Equipe Ferrari com 4 carros, Equipe Matra , a Porsche com seus 911 e 910, vários 908, os Ford Mirage da Gulf e ainda outros que não me lembro, uns 45 carros. Depois da classificação, onde ficamos em sétimo, Anísio Campos (chefe de equipe) perguntou-me, ?Que tal a barra ai ?? respondi, ?Olha Anísio, fizemos o sétimo tempo mas com a turminha da força livre? nem pensar, pois esses caras andam pendurados no motor, freio e pneus. Agora, tem um piloto na 2 litros que realmente anda forte. É com ele que vamos nos confrontar. Fiquei 5 voltas atrás dele e quando passei, ele foi ficando pouco a pouco por cerca de umas 12 voltas, o cara é tinhoso…?
Mais à noitinha, Anísio, já íntimo do Diretor de Competições da Bosch veio me contar: O piloto do protótipo 2 litros Chevron BMW de fábrica, nada mais é que Rolf Stommelen, campeão da 2 litros e que também ficou curioso em saber quem era afinal o piloto do Porsche Hollywood do Brasil.
Disse Rolf à ?Heu Bosch? : ?Eu não me lembro de ter visto um piloto tão impecável como esse brasileiro.? ?Será o meu adversário de amanhã (domingo) dia da prova.?
Foi à primeira prova em que uma equipe brasileira participou no Campeonato Mundial de Marcas e Pilotos em solo Europeu.
Moral da História: Boi preto cheira boi preto!
Um Abraço
Luizinho Pereira Bueno.

  http://www.luizpereirabueno.com.br/blog/category/1-000-km-austria-1972-por-luizinho/ 




Esta é uma bela foto panorâmica da largada dos 1000 km da Áustria de 1972. Esta corrida contou com a participação do Porsche 908/2 da Equipe Hollywood, que pode ser visto à esquerda. O bólido acabava de sair da fábrica da Porsche, onde passou por uma revisão, antes de ser despachado para o Brasil, onde participaria dos 500 km de Interlagos.
O carro, pilotado por Luis Pereira Bueno e Tite Catapani largou em sétimo, e abandonou a prova.
Esta corrida também foi notável por ser a primeira participação de José Carlos Pace na Ferrari. O brasileiro correu em dupla com o austríaco Helmut Marko e chegou em segundo lugar. Impressionou bastante e foi contratado pela SEFAC para 1973. Curioso que embora a Ferrari tenha obtido um 1-2-3-4 na corrida, nos treinos foi superada pelo Gulf Mirage de Derek Bell e pela Lola Bonnier de Reine Wissel. Os dois carros com motor Ford largaram mal, e foram superados pelas Ferrari e na foto o Porsche brasileiro aparece em quarto ou quinto lugar - não é possível dizer se está à frente ou atrás do Gulf Mirage.

    http://brazilexporters.com/blog/index.php?blog=5&p=1597&more=1&c=1&tb=1&pb=1


Agradecendo aos amigos; Primeiro a Elisa Asinelli do Nascimento o envio da foto do Tite e Ronnie. Ao Dú Cardin o texto magífíco do Luizinho. Ao Carlos de Paula historiador e fanático por automobilismo. Por fim ao Luizinho por ter nos proporcionado tão belos momentos. 
Um forte abraço. Rui


  

DESAFIO.


 É assim mesmo, é só nos encontrarmos para colocar os papos em dia e aparece um desafio. Só que alguns de nós pensando sempre em andar na frente já estão treinando, no Kart e Autorama. Vamos ver no que dá. Na minha frente vai ser difícil andar nas duas competições, nas MM de Autorama vou em parceria com o Fabio Poppi - João Lindau dando uma forcinha lá de cima- tocar o 99. Me parece que o Luiz e o Fernando depois de preparar um carro fora do regulamento estão tentando correr com um super carro, vamos ver! Vou pedir vistria tecnica em ambas categorias! 


Jr e seu neto André.


O Jr treinando duro, seu neto André ouvi dizer que já está tentando pilotar uma Kombi, é dificil tira-lo de dentro do carro, fica aos quatro anos fingindo pilotar. 

Já o Ferraz treina duríssímo semanas a fio, no Kart e no Autorama. O video e foto abaixo recebi de um site de fofocas e famosos bem como uma foto do Orlando treinando de Kart domingo passado em Aldeia da Serra, como a foto que recebi é da revista caras, me negaram a divulgação alegando que o Orlando é piloto oficial da conceituada revista.

   
Ferraz treina escondido e ainda ri de nós!




A PROVA RECEBIDA DE UM PAPARAZZI.


quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

FERRARI 275 LM








David Piper em Oulton Park 1966.

Peter Revson e George Drumond em Sneterton 1966.

David Piper em Goodwood 1966.

David Piper em Crystal Palace atrás um Chevron GT.


Ferrari 275LM, desde que ganhei uma de autorama da Revel me apaixonei, vermelha simplesmente linda. Devia ser o ano de 1964 e começava a gostar e muito de automobilismo e lia e relia as matérias com meus ídolos e carros preferidos, as fotos P&B são de revistas Motrsport que guardo desde aquela época. Lançada no Paris Motor Show no ano de 1963 sua denominação oficial era Ferrari 250 LM Pininfarina Stradale Speciale e logo ganhou o mundo e inúmeras corridas.


CHASSI: Tubular com seções em alumínio.

                 Suspenções dianteira e treaseira com braços triangulares e barra estabilizadora.

                 Freios a disco Dunlop, trazeiros on board.

                 Cambio de cinco marchas.

Dimenções: Comprimento 4.270 mm.

                     Largura 1.700mm.

                     Altura 1.1500mm.

                     Peso 850 kg.

Motor: V12 a 60°-3.286cc-77mm X 58.8mm

             Taxa de compressão 9.7:1

             Duas válvulas por cilindro.

             Alimentação seis carburadores Weber 38 DNC.

             320 hp a 7.500 rpm 97 hp por litro.

 
Velocidade máxima: 295 km/h - 0 a 100km/h 6.1s.


Em 1965 apesar de todo poderio da Ford com seus GT 40 MK II que fizeram com Phil Hill a pole e melhor volta da corrida e das Ferrari 330 P2 oficiais, foi uma 275 LM da NART – Nort American Racing Team- a vencedora das 24 Horas de Le Mans, pilotadas com maestria por Jochen Rindt e Masten Gregory, chegando outra 275 LM de uma equipe francesa em segundo lugar.



                                                                                  
                   
                                                                                                                                                                                   

NT: As fotos preto e branco são de uma coleção da revista MOTOSPORT DE 1966.
        As coloridas são de Woulter Melissen.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Jackie Stewart - A primeira vitória na Formula Um


Jackie Stewart e BRM

Silverstone Maio de 1965, no Daily Express International Trofy estava reunida a nata da Formula I para uma corrida extra-campeonato no mesmo autódromo em que seria corrido o GP da Inglaterra daquele ano. Como era costume na época varias outras categorias correram naquele dia, Esporte-Prototipos, Formula 3, Turismo. E como também era costume pilotos de Formula I correram também em outras categorias.


Começo da corrida John Surtees com Ferrari a frente de Jackie de BRM. Surtees vem em nitido sobrêsterço andando muito forte à frente do Escocês.

A Formula I corria o seu ultimo ano com os motores de 1.500cc. John Surtees havia sido Campeão do Mundo no ano anterior com Ferrari,na Owen Racing Organisation Grahan Hill e Jackie Stewart suas BRM, Jack Brabhan corria com sua Brabhan com motores Conventry-Climax, a equipe Lotus vinha com Mike Spence com a Lotus 33 Climax e Pedro Rodrigues com uma 25, sem o seu grande astro Jim Clark. Bruce MacLaren ainda não tinha feito seu carro para Formula I e correria de Cooper-Conventry-Climax. Ao final deste ano o grande Jim Clark e a Lotus 33 Conventry-Climax eram os campeões do mundo.


O GRID DE LARGADA
  


Na corrida Hill assumiu a ponta com Brabhan em segundo, Surtees em terceiro brigando com Stewart, liderou até a décima segunda volta, com Brabhan assumindo a ponta após a perda de rendimento de seu carro. Brabhan liderou até a trigésima oitava volta quando cedeu a liderança a Stewart que não se intimidando com o campeão do mundo Surtees, já vinha em segundo. Recebendo a quadriculada em primeiro após cinqüenta e duas voltas.
Foi a primeira vitória daquele que venceria vinte sete corridas oficiais na Formula I e seria três vezes campeão do mundo em 1969, 1971 e 1973.



Jack Brabhan - Brabhan Conventry Climax
  
10 Paul Hawkins, Lotus 33 Conventry Climax e 2 Lorenzo Bandini Ferrari 158/63 V12.


Pedro Rodrigues, Lotus 25 Conventry Climax.
 
Richard Attwood, Lotus 25 Conventry Climax


Bob Anderson, Lotus 25 Conventry Climax



                           CLASSIFICAÇÃO FINAL

1º-Nº4 Jackie Stewart, GB Owen Racing Organisation BRM P261 V8 2617 1:21'47.0"


2º-Nº1 John Surtees, GB SpA Ferrari SEFAC Ferrari 158/63 V8 0006 1:21'50.0"


3º-Nº 5 Mike Spence, GB Team Lotus Lotus 33 - Climax VWMV V8 33-R9 1:22'43.4"


4º-Nº 6 Pedro Rodriguez, MX Team Lotus Lotus 25 - Climax FWMV V8 25-R6 1:23'20.6"


5º-Nº 11 Jo Bonnier, S R.R.C. Walker Racing Team Brabham BT7 - Climax FWMV V8 F1-2-63 51


6º-Nº 9 Bruce McLaren, NZ Cooper Car Co Cooper T77 - Climax FWMV V8 F1-2-65 51


7º- Nº 2 Lorenzo Bandini, I SpA Ferrari SEFAC Ferrari 158/63 V12 0007 51


8º-Nº 18 Richard Attwood, GB Reg Parnell (Racing) Lotus 25 - BRM V8 25-R3 51


9º-  Nº17 Mike Hailwood, GB Reg Parnell (Racing) Lotus 25 - BRM V8 25-R7 51


10º- Nº14 Paul Hawkins, AUS DW Racing Enterprises Lotus 33 - Climax FWMV V8 33-R8 51

VOLTA MAIS RÁPIDA: John Surtees 1.33.00s


                                                      ESPORTE-PROTÓTIPOS



Nos Esporte-Protótipos a grande briga se deu entre Bruce MacLaren e seu MacLaren-Elva-Olds de 4.500cc automático e John Surtees com uma Lola T70 motor Chevrolet de 7.000cc. A vitoria ficou para Bruce depois de Surtees enfrentar problemas em seu carro e terminar em sétimo lugar. O primeiro até dois litros foi Dennis Hulme.