A VERDADE NÃO SERIA BASTANTE PLAUSÍVEL SE FOSSE FICÇÃO - Richard Bach

quarta-feira, 28 de abril de 2010

O Caçador de Estrelas na pista por Roberto Zullino


Com o maior prazer dou meu depoimento:
O Caçador de Estrelas tem sido motivo de piada desde o seu nascimento como exemplo de traquitana, mas isso não é necessariamente verdadeiro, exceto pela posição absolutamente maluca, o carro não era ruim e muito menos mal feito e poderia dizer que tinha um desempenho muito melhor que a maioria das carreteras, a do Camilo incluída.

O Votanamis não era neófito e tinha acesso a peças e tecnologia da época. O que não tinha era acesso a um transaxle do tipo Hewland mais pesado como as DG 300 ou Maserati. Na falta de um transaxle Maserati resolveu a coisa de maneira mais simples. Encurtou o cardã que deveria ter uns 10 centímetros, apenas o suficiente para abrigar duas juntas universais permitido a oscilação do eixo traseiro, mas jamais saberemos se essa solução não iria forçar demais o cardã e as juntas causando quebras, o carro não andou nas Mil Milhas para a qual foi construído.

O carro tinha um motor Corvette acoplado a uma caixa normal, um cardã curto e um eixo rígido atrás. Não posso precisar de que marca, mas certamente tudo era GM e talvez o câmbio fosse de Jaguar 4 marchas, a famosa caixa Moss que embora fosse uma caixa temperamental era muito usada nas carreteras. Por mais que se encurtasse o cardã o conjunto ainda assim era muito comprido.

O problema é que por mais que se pusesse o motor ara trás ainda assim ficava faltando lugar para o piloto. A solução foi pendurar uma estrutura na frente do eixo dianteiro para o piloto.

O Bica não teve a idéia de colocar o piloto do lado do motor como alguns carros de Indianápolis ou mesmo os protótipos Tubarão feitos no sul pelos Andrade 40 anos depois, usando mais ou menos o mesmo conceito e colocando o piloto ao lado.

As fotos de construção do carro não mostram que a direção tinha dois tirantes até o painel, acho que foram colocados na pista. Os pneus utilizados na pista eram bem mais largos que os das fotos e certamente importados, os traseiros com certeza. Pode-se ver que a suspensão é moderna, mesmo a traseira e muito bem montada e projetada apesar do eixo rígido. Na frente, bandejas em triângulo com molas helicoidais e na traseira um eixo rígido, também usando molas helicoidais. Os freios eram a disco, com certeza na dianteira, não lembro da traseira, mas acredito que eram a disco também. Portanto, em termos de chassis e suspensão um carro muito mais avançado do que as carreteras e com um centro de gravidade muito mais baixo.

O carro na minha opinião fazia as curvas de alta de forma muito equilibrada, saia levemente de traseira nessas curvas sem oscilação alguma. Nas curvas de baixa iniciava saindo um pouco de frente, mas com a força do motor era colocado no lugar muito facilmente pelo piloto. Dava a impressão de ser muito fácil de dirigir, a menos a posição da direção que era igual à da Kombi.

Não sei se o piloto ficava aterrorizado dentro do carro, mas acredito que não porque andaram bem forte com o carro. Quem ficava aterrorizado era que via o carro correr. No final, acertadamente, proibiram o carro de correr as Mil Milhas e nunca mais se ouviu falar do Caçador de Estrelas, deve ter virado outras coisas como era comum na época. Uma pena, se tivesse sido mais desenvolvido com a colocação do piloto ao lado teria feito muita gente suar para enfrentá-lo.

Abs,

Roberto da Silva Zullino

Caro Zullino agradeço seu depoimento e meus amigos e eu que escrevemos "Histórias" deixamos nosso espaço  sempre aberto para você. Um abraço
NT: Alem de não ter outras fotos do Caçador não sei o que aconteceu com o editor do blog e não consegui anexar fotos da mesma forma que antes, mas o que vale é o depoimento do Zullino que viu o carro andando. 

   Tranqueiras de Corrida   http://rzullino.blogspot.com/   

Um comentário:

Os comentários serão aprovados por mim assim que possível, para aqueles que não possuam blogs favor usar a opção anonimo na escolha de identidade. Obrigado por sua visita, ela é muito importante para nós.

Rui Amaral Jr